Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019, 16h:55

Tamanho do texto A - A+

Para receber de Mendes, Emanuel diz que vai pedir ajuda até do Papa

Por: FERNANDA ESCOUTO

“Eu falo com todo mundo, até com o Papa, se for preciso para garantir esse dinheiro”. A declaração do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) é em relação ao repasse de uma dívida do Governo do Estado à Secretaria Municipal de Saúde, em um valor, de acordo com ele, de quase R$ 56 milhões.

Alan Cosme/HNT/HiperNoticias

emanuel pinheiro/HMC/3 fase

Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro

De acordo com Pinheiro, o Estado já teria reconhecido parte da dívida, entretanto o impasse seria no restante do cálculo, a quantia de um pouco mais de R$ 16 milhões.  Isso porque o governador Mauro Mendes (DEM) afirma que já foi repassado à Saúde Municipal a quantia de R$ 23 milhões, referentes aos anos de 2016, 2017 e 2018, faltando apenas agora o valor de R$ 39 milhões.

“Eu falo com todo mundo, até com o Papa se for preciso, para garantir esse dinheiro, pois ele pertence a saúde pública de Cuiabá, pertence a população e eu não abro mão. O Estado já reconheceu os R$ 39 milhões, então apresente uma proposta. Não quero colocar a faca no pescoço de ninguém. Eu quero que apresente uma proposta e pague”, disse o prefeito nesta quarta-feira (18), durante a entrega da obra de revitalização do Centro de Convivências de Idosos (CCI) Padre Firmo.

“Os R$ 16 milhões restantes, já orientei minha equipe para sentar com a equipe da Secretaria Estadual de Saúde para fazer um encontro de contas. O que é devido tem que ser pago, o que não é devido, não tem problema. Se provarem, nós não iremos cobrar”, completou.

Pinheiro ressaltou que o valor em atraso é referente aos serviços de Atenção Básica, Assistência Farmacêutica, MAC Assistência (para UTIs, Média e Alta Complexidade, Ginecologia e Obstetrícia, Cirurgias Cardíacas Pediátricas e Neonatal), MAC Assistência para UPAs, e para Portarias que destinam recursos para o Pronto-Socorro e Cirurgias Cardíacas com Toracotomia.

“Eu vou até a última instância para cobrar o último centavo, porque esse dinheiro pertence a saúde pública. Vou esticar a corda, se o Tribunal de Contas do Estado (TCE) puder ajudar, se o Ministério Público Estadual puder ajudar, nós vamos tentar. Vamos tentar da forma menos traumática, eu só não posso abrir mão de receber R$ 56 milhões”, pontuou.

Judicialização da dívida

O prefeito da Capital voltou a falar sobre uma possível judicialização, caso o Estado não quite o valor, nem que seja de forma parcelada. De acordo com Pinheiro, o governo já teria sido notificado, porém não teria respondido a notificação.

“Eu já conversei com o secretário Luiz Antonio Possas e com o procurador geral do município. Já determinei que notificasse o Estado, já determinei que tentem de todas as formas, o recebimento amigável. Eu não quero ir à Justiça contra o Estado, mas por Cuiabá eu vou”, argumentou o emedebista.

“Já estamos no limite. Já notifiquei e a notificação já venceu. Estamos tentando ver essa intermediação do MP, com o TCE, no momento estamos esgotando os canais de negociação. Já falamos com deputados estaduais para intermediarem nessa situação. Eu quero uma negociação tranquila, antes da judicialização”, concluiu.

No último dia 11, o Governo do Estado, por meio de nota, reafirmou que a dívida à secretaria municipal de Saúde é no valor de R$ 39 milhões e não R$ 60 milhões como anunciado pelo prefeito Emanuel Pinheiro. Já sobre a notificação da prefeitura de Cuiabá, o Executivo não deu informações. 

Relação estremecida

Pinheiro e Mendes, que estão se estranhado constantemente, já tiveram uma relação harmônica. Enquanto deputado estadual, Emanuel foi o coordenador da campanha vitoriosa de Mauro Mendes a prefeito de Cuiabá, em 2012. No entanto, a crise entre eles se instaurou após a investida do Estado na tomada da administração da Santa Casa.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1