Quinta-Feira, 05 de Setembro de 2019, 08h:52

Tamanho do texto A - A+

Possas anuncia medidas para conter fraudes na Saúde; "vou junto prender"

Por: FERNANDA ESCOUTO

O secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Possas de Carvalho, afirmou nesta nesta terça-feira (3) que irá denunciar, e até mesmo mandar prender, eventuais atos de corrupção que ocorram na pasta. Possas assumiu a função de forma efetiva após ocupar o cargo interinamente depois que o ex-titular, Huark Douglas Correia, foi preso em 2018 na Operação Sangria.

No início deste ano, Possas também foi alvo de escândalo na secretaria, quando ele assinou uma portaria autorizando um prêmio saúde de R$ 31 mil para ele mesmo. O ato foi revogado e o dinheiro acabou sendo devolvido após denúncias feitas por vereadores. 

Alan Cosme/HiperNoticias

Antônio Possas de Carvalho

 Secretário de Saúde Luiz Possas

“Além de fazer denúncia, eu vou junto prender. Em dezembro vocês viram o que aconteceu na Saúde, é público e notório. O último 'show' foi uma operação da polícia dentro da Saúde. Então, ocorria coisas que não eram muito republicanas ali dentro”, afirmou Possas durante coletiva de imprensa .

A Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Administração Pública (Defaz) acusa o ex-gestor Huark de ser o líder do esquema que fraudava contratos de prestação de serviços médicos hospitalares.

De acordo com Possas, que há poucos dias também ocupava o cargo de procurador-geral do município, ele teria sido escolhido para ficar à frente da Saúde justamente pelo seu perfil ‘linha dura’ e que jamais aceitaria qualquer tipo de desvios de dinheiro público ou direcionamento de licitações para atender interesses pessoais.

 “O meu perfil é esse. Além de fazer denúncia [caso seja identificada alguma irregularidade] eu vou junto prender. Vim do setor da Segurança Pública, não tenho dó nem piedade de quem não respeita o dinheiro público. Para mim, a pessoa tem que ser afastada e punida, não tenho dúvida nenhuma. Dinheiro da saúde é sagrado. É dinheiro que salva vidas”, pontuou.

Primeiras ações

Nas últimas semanas, Possas declarou que algumas medidas contra corrupção na Saúde já estariam sendo realizadas, como por exemplo a abertura de seis procedimentos administrativos disciplinares (PADs) contra funcionários que estariam desviando medicamentos e insumos dentro do Pronto-Socorro da Capital.

O gestor de Saúde destacou que a descoberta dos desvios realizados por servidores foi a partir da investigação do setor de Inteligência do próprio hospital.

Quando questionado sobre os nomes dos suspeitos, o secretário afirmou que não poderia divulgar por questão de sigilo.

“Já foram identificados os responsáveis, mas não posso falar por questão de sigilo. A Polícia vai divulgar quem são as pessoas implicadas nisso em breve”, argumentou.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei