Terça-Feira, 18 de Junho de 2019, 15h:16

Tamanho do texto A - A+

Mauro Mendes sobre VLT: "Estou tentando, mas para viabilizar precisa de dinheiro"

Por: FERNANDA ESCOUTO

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), afirmou que continua trabalhando alternativas para viabilizar a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), porém a crise financeira instalada no Estado pode atrapalhar. Na campanha eleitoral, o democrata estabeleceu o prazo de um ano para definir o futuro do modal.

Alan Cosme/HNT/HiperNoticias

mauro mendes

 Governador Mauro Mendes

“Eu tenho uma característica, muito diferente, eu não gosto de ficar falando. Eu tive em Brasília e tive várias reuniões importantes e optei por não ficar divulgando isso. Eu não gosto de ficar colocando muito barulho e pouco resultado. Estou focado nesse problema. É um problema gravíssimo e seríssimo, mas nós não temos dinheiro hoje”, disse Mendes.

No dia 6 de junho, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) manteve a rescisão unilateral do contrato firmado entre o governo do Estado e o Consórcio VLT para execução da obra. A decisão foi dada como acertada por Mauro Mendes, que afirmou que em um prazo de 30 dias anunciaria o destino da principal obra da Copa de Mundo de 2014, na grande Cuiabá.

“Eu vou tentar viabilizar, mas para viabilizar precisa de dinheiro. De sonho e de mentira, todos estão de saco cheio, então não adianta mentir para a população, não adianta jogar para galera. Esse tipo de político que só fala e que não faz, estão aí os resultados, as consequências para todos nós”, pontuou o chefe do Executivo.

“Estou trabalhando para viabilizar, trabalhando alternativas e ao final espero ter algo concreto para ser apresentado para a sociedade”, completou.

VLT

A obra foi iniciada em 2012 na gestão do ex-governador Silval Barbosa, com o prazo de ser entregue para os jogos da Copa do Mundo de 2014, mas não ficou pronta, passando o legado para o próximo governador, o tucano Pedro Taques (PSDB).

Em dezembro de 2016, Taques fechou, em cerca de R$ 900 milhões, o acordo com o Consórcio VLT para a conclusão de toda obra, na intenção de retomar a ação em abril de 2017 para conseguir entregar até 2018, pelo menos uma linha do modal funcionando. O fato também não aconteceu.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto








Mais Comentadas