Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 10h:15

Tamanho do texto A - A+

Câmara abre licitação para alugar 32 veículos; custo vai além da Verba Indenizatória

Por: FERNANDA ESCOUTO

Em pouco dias, a Câmara Municipal de Cuiabá publicará o edital que prevê a contratação de empresa para fornecimento de 32 veículos para o Parlamento Municipal, a partir do segundo semestre.  A medida, porém, divide opiniões dentro da Casa de Leis.

Alan Cosme/HiperNoticias

misael falvao

Presidente da Câmara, Misael Galvão

Conforme a Comunicação da Câmara, a licitação será realizada na modalidade tomada de preços. No total, serão locados 30 carros Hatch com motorização 1.0 e mais um ônibus e uma van. Destes, 25 veículos serão disponibilizados aos vereadores, cinco ficarão para atender a administração.

O custo dessa contratação será além da Verba Indenizatória (VI), R$ 18 mil, atualmente recebida pelos vereadores.

De acordo com a Mesa Diretora da Casa de Leis, a medida é legal e visa dar mais agilidade aos trabalhos desenvolvidos pelo Legislativo.

“Esta questão está no nosso plano de ação de trabalho, e nós estamos aqui para quebrar paradigmas. Optamos ser gestor, então temos que tomar decisões para poder avançar, e hoje essa questão da licitação dos carros está clara. A Câmara Municipal é o maior Parlamento Municipal de Mato Grosso e só temos dois carros, precisamos de mais condições de trabalho”, disse o presidente da Câmara, vereador Misael Galvão (PSB).

Adevair Cabral (PSDB), primeiro-secretário da Casa, afirma que a população irá ganhar com essa licitação, tendo em vista que os parlamentares poderão estar com mais frequência nos bairros, ouvindo as reinvindicações.

“A Câmara Municipal vem trabalhando de forma deficitária há muito tempo, por falta de ferramentas essenciais de trabalho. É impossível você trabalhar dessa forma, sem recursos nenhum. Agora, o presidente Misael quer colocar a Câmara nos trilhos, colocar infraestrutura, levar conhecimento e informação até aos bairros, mas está sendo criticado. Nós precisamos deste meio para buscar as reivindicações da população nos bairros, e quem tem a ganhar com tudo isso é a população”, enfatizou o tucano.

Contraponto

Já o vereador Marcelo Bussiki (PSB) afirmou que não fará uso dos carros alugados. “Tenho usado meu veículo próprio desde o início do mandato para as atividades legislativas. Além disso, com a verba indenizatória eu tenho conseguido custear outros meios de locomoção para os meus servidores em atividade parlamentar”, disse.

Diego Guimarães (PP), assim como Bussiki, destacou que não sente a necessidade de fazer uso dos novos veículos, pois somente com a verba indenizatória seu gabinete consegue realizar as atividades parlamentares. “Eu tenho feito minhas atividades parlamentares com o meu veículo, os servidores do meu gabinete usam veículos próprios e assim vamos continuar fazendo”, pontuou.

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto