Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019, 16h:12

Tamanho do texto A - A+

TJ manda soltar dois acusados de envolvimento com o jogo do bicho

Por: LUIS VINICIUS

A Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) determinou a soltura de dois membros da empresa Ello / FMC, empreendimento acusado de praticar a contravenção do jogo do bicho em Cuiabá. A decisão saiu na tarde desta quarta-feira (18). 

Alan Cosme/HNT/HiperNoticias

GCCO

 A Operação Mantus foi deflagrada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO)

Foram soltos, Glaison Roberto Almeida da Cruz e de Adrielli Marques. Ambos foram presos na “Operação Mantus”, deflagrada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), no dia 29 de maio, na Capital e em outras cidades.

De acordo com a PJC, a operação foi intitulada “Mantus”, e se destina a prender duas organizações criminosas, sendo a Ello / FMC e Colibri, envolvidas com lavagem de dinheiro e com a contravenção penal denominada “Jogo do Bicho”.

As empresas são comandadas por Frederico Muller Coutinho (Ello / FMC) e por João Arcanjo Ribeiro (Colibri). O primeiro estava detido no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), no dia 14 de agosto.

Já João Arcanjo continua preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), à disposição da Justiça. Ele dividia a liderança com o genro Giovanni Zem, solto no fim da semana passada após ter o habeas corpos deferido pela Terceira Câmara Criminal.

Denunciados

Os líderes foram denunciados pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) pelos crimes de organização criminosa, contravenção penal do jogo do bicho, extorsão, extorsão mediante sequestro e lavagem de dinheiro.

Além deles, também ofertados queixa contra Indinéia Moraes Silva, Kátia Mara Ferreira Dorileo, Madeleinne Geremias de Barros, Glaison Roberto Almeida da Cruz, Werechi Maganha dos Santos, Laender dos Santos Andrade, Patrícia Moreira Santana, Bruno Almeida dos Reis, Alexsandro Correia, Rosalvo Ramos de Oliveira, Eduardo Coutinho Gomes, Marcelo Conceição Pereira, Haroldo Clementino Souza, João Henrique Sales de Souza, Ronaldo Guilherme Lisboa dos Santos e Adrielli Marques. Todos eles são pertencentes a empresa Ello FMC.

Já na Colibri foram denunciados Noroel Braz da Costa Filho, Mariano Oliveira da Silva, Adelmar Ferreira Lopes, Sebastião Francisco da Silva, Marcelo Gomes Honorato, Agnaldo Gomes de Azevedo, Paulo César Martins, Breno César Martins, Bruno César Aristides Martins, Augusto Matias Cruz, José Carlos de Freitas, vulgo “Freitas”, e Valcenir Nunes Inerio, vulgo “Bateco”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei