Terça-Feira, 11 de Junho de 2019, 14h:25

Tamanho do texto A - A+

Recolhedor da empresa Ello/FMC se apresenta à Polícia Civil

Por: LUIS VINICIUS

O recolhedor Ronaldo Guilherme Lisboa dos Santos, se apresentou à Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), na manhã desta terça-feira (11), no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá. O homem é apontado como integrante da empresa Ello/FMC, envolvida no jogo do bicho.

preso gcco.jpg

 

O homem compareceu à unidade policial acompanhado de seu advogado. Em desfavor de Ronaldo tem um mandado de prisão expedido pelo juiz da 7º Vara Criminal, Jorge Luiz Tadeu.

Após a prisão, Ronaldo deverá ser encaminhado ao Fórum de Cuiabá, onde deverá passar por audiência de custódia. Caso o magistrado plantonista mantenha a prisão, Ronaldo deverá ser encaminhado para uma penitenciária de Cuiabá.

Diante da apresentação de Ronaldo, apenas três pessoas continuam como foragidos. As outras 30, foram presas durante a “Operação Mantus” deflagrada pela GCCO e pela Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz).

A ação policial investigou duas associações criminosos responsáveis pelo jogo do bicho em Mato Grosso. De acordo com a Polícia Civil, uma dessas organizações, a Colibri, era comandado pelo ex-comendador João Arcanjo Ribeiro, preso desde o dia 29 de maio na Penitenciária Central do Estado (PCE).

Já a empresa Elo/FMC era liderada pelo empresário Frederico Müller Coutinho, também preso desde o fim do mês passado, no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC). Além dos líderes, outras 31 pessoas foram indiciadas pelo crime de extorsão, organização criminosa, extorsão mediante sequestro, lavagem de dinheiro e contravenção penal do jogo do bicho.

Os mandados de prisão e busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande e mais cinco municípios.

Na última semana, todos os detidos prestaram depoimentos. Arcanjo negou todas as acusações. Já Giovanni e Frederico decidiram ficar em silêncio.

O inquérito foi presidido pelo delegado Luiz Henrique Damasceno com apoio dos delegados Juliana Palhares, Flávio Sringueta e Frederico Murta.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei