Quarta-Feira, 23 de Setembro de 2015, 17h:51

Tamanho do texto A - A+

Apontado como melhor prefeito de Mato Grosso, Adriano Pivetta revela a 'receita do sucesso'

Por: RODIVALDO RIBEIRO

O Ranking IKGM de Aprovação Popular dos Prefeitos de Mato Grosso 2015 trouxe também, além de todos os números e resultados sobre como as populações dos 50 maiores municípios do estado enxergam seus gestores públicos, algumas curiosidades e peculiaridades típicas de um dos maiores estados do país. As duas cidades que lideram o ranking são administradas por dois irmãos, ambos do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Adriano e Otaviano Pivetta.

 

Leia mais:

Irmãos Pivetta são considerados os melhores prefeitos de Mato Grosso, aponta pesquisa KGM

Pesquisa KGM revela os 10 piores prefeitos de Mato Grosso; confira o ranking

Nenhum prefeito de Mato Grosso conseguiu nota acima de 8; Confira o ranking completo

 

O mais novo e primeiro citado tem menos tempo de carreira política, mas conseguiu superar o irmão mais velho nos vários itens analisados nos municípios para abocanhar o primeiro lugar devido à administração de Nova Mutum (240 km ao norte de Cuiabá). Lá, Adriano Pivetta (PDT) conseguiu 80,95 pontos na pesquisa realizada em 2015, num movimento de ascensão que vinha desde 2013, quando ficou em 14º, com 64,80 pontos. Já no ano passado foi quando mais subiu posições e deu um verdadeiro sprint, saindo da 14º em 2013 para o quinto lugar em 2014, com 57,80 até chegar ao atual primeiríssimo lugar.

 

Reprodução

Adriano Pivetta - Ranking IKGM

 Para Adriano Pivetta, o segredo do sucesso de sua administração é o investimento constante em Educação e Saúde, suas prioridades

Adriano Pivetta disse ter recebido a notícia com muita alegria, porque é o resultado de um trabalho de toda a equipe que administra a cidade. “É muito gratificante. Uma surpresa muito difícil de chegar. Recebemos com muita emoção, especialmente porque este é o meu terceiro mandato”, considerou Pivetta. Ele já havia sido prefeito entre 2001 e 2008, ficou quatro anos fora e foi reeleito para o terceiro mandato.

 

Ele relembra as dificuldades em meio à celebração pelo bom resultado. “Quando assumi em 2001, tínhamos um município que ainda não tinha Lei de Responsabilidade Fiscal. Recebi com três folhas de pagamento atrasadas, servidores sem receber, as contas do município bloqueadas e 468 cheques sem fundo. Em descrédito total no município. Infelizmente, naquela época passávamos por caloteiros. Hoje o município desponta com credibilidade na administração, um resultado das pessoas que acreditam e contribuem para que o município chegue a esses patamares”, disse, dividindo ou louros da vitória com sua equipe.

 

O resultado de sua administração trouxe também um aumento populacional. No primeiro mandato, o contingente de moradores ficava entre os 12 mil e 13 mil habitantes, hoje está por volta dos 50 mil habitantes. “Com o aumento de população, aumentaram os desafios e os compromissos, que hoje são muito maiores, mas o jeito de administrar ainda é investir muito na educação, a bandeira que sempre defendi”, continua Pivetta.

 

Segundo ele, colocar a educação em primeiro lugar, juntamente com a saúde, foram as principais ações que levaram ao atual nível de satisfação, com a população considerando sua administração a primeira em termos de satisfação. “Conseguimos dar um passo importante por modernizar a saúde, acabamos com as filas de espera nos postos, cumprindo com o dever e a obrigação de manter uma boa saúde básica. O cidadão não precisa mais acordar de madrugada para ir ao posto, esperar por uma consulta, uma ficha. Hoje ele tem sua consulta agendada, chega no horário”, afirma.

 

Ele lembra também o trabalho feito junto aos idosos. “Para as pessoas acima de 65 anos, criamos o Programa Dose Certa, que entrega a medicação nas casas. Tudo que temos feito é com recursos próprios, muito pouco recurso do governo federal. Do governo do estado temos apenas duas emendas parlamentares, uma do ainda senador Pedro Taques, com a qual construímos um PSF. Fazemos tudo com o dinheiro do contribuinte, todas as obras são de qualidade e com custo baixo”.

 

Assessoria

Otaviano Pivetta

Adriano também assume que pega muitas dicas com o irmão mais velho, Otaviano Pivetta, que ficou em segundo lugar no Ranking IKGM

Segundo Pivetta, a administração rigorosa de recursos é que propicia as melhorias. “Lógico que ainda gostaríamos de avançar mais, mas ficamos felizes porque, pelo TCE, também ficamos em terceiro lugar em 141 municípios na prestação de contas. Com gestão de excelência, chegamos também na ponta na prestação dessas contas. Isso se deve a uma equipe que é dedicada àquilo que faz. Que trabalha com amor e dedicação. O resultado de quem planta boas sementes é colher bons frutos”, continuou.

 

Entretanto, Pivetta também admitiu os problemas de sua cidade, especialmente no quesito Segurança Pública. “Ainda é um problema sério, a população cobra. Mas, no mais, acho que vamos continuar dando ênfase na educação e saúde. Principalmente na saúde básica, que é o compromisso do município, fazer nosso dever de casa. A qualidade de vida na questão de acessibilidade, que estamos trabalhando muito nisso, mudando a cidade nesse quesito, pra implantação de pistas de caminhada e ciclovia e todo esse setor”.

 

Seu irmão Otaviano Pivetta não estava muito a fim de atender o telefone, mas ficou em segundo lugar com sua Lucas do Rio Verde, conseguindo 77,65 pontos neste 2015; subindo três posições ano passado, em 2014, quando ficou em quarto, com 65,60. Já em 2013, ficou em terceiro, com 76,30.

 

Sobre os toques do irmão Otaviano, responsável pela campanha vitoriosa de Pedro Taques (PSDB), Adriano fala com orgulho típico de irmãos mais novos.  “Aprendi muito com ele. E a gente troca muita experiência. Acho que é um fato que a gente aceita com naturalidade, porque trabalhamos muito em harmonia. Não vejo problema nenhum nisso, fico feliz em saber que eu e ele estamos nas posições de frente”, encerrou.

Avalie esta matéria: Gostei +14 | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto