Terça-Feira, 08 de Outubro de 2019, 15h:44

Tamanho do texto A - A+

Vereador pede convocação de José Riva para depor na CPI do Paletó

Por: FERNANDA ESCOUTO

O vereador Diego Guimarães (PP) protocolou um requerimento, nesta terça-feira (07), solicitando a convocação do ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, que investiga a conduta do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB).

Alan Cosme/HiperNoticias

diego guimaraes

 Vereador Diego Guimarães 

A Comissão foi criada par apurar uma suposta quebra de decoro, que teria sido cometida por Emanuel Pinheiro, em 2013, quando era deputado estadual. O atual prefeito foi filmado recebendo dinheiro, que possivelmente seria de propina, do ex-chefe de gabinete do então Silval Barbosa, Silvio César Corrêa.

Guimarães acredita que Riva pode trazer à CPI informações sobre o “episódio do paletó”, pois à época dos fatos ele presidia a Assembleia.

A convocação também é devido as declarações de Riva divulgadas, nesta segunda-feira (06), pela imprensa. Em uma possível colaboração premiada à Justiça, o ex-presidente da Casa de Leis afirma que pagou propina - o chamado “mensalinho” - durante 20 anos, para alguns deputados, entre eles Emanuel Pinheiro.

“A solicitação deve-se à necessidade de esclarecimentos do convocado com o fito de aclarar o objeto da investigação, nomeadamente em virtude da participação central que o futuro depoente exerceu nos fatos averiguados”, afirma o requerimento enviado ao presidente da CPI, Marcelo Bussiki (PSB).

Retomada da CPI

Na última semana, a Mesa Diretora da Câmara escolheu os novos membros da CPI e retomaram os trabalhos, que estavam paralisados desde março de 2018.

A medida foi uma determinação do juiz Wladys Roberto Freire do Amaral, da 4ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá.

Os vereadores Toninho de Souza (PSD) e Sargento Joelson (PSC), que são da base aliada ao Executivo, foram definidos como relator e membro da comissão, respectivamente.

Apesar do anúncio dos novos nomes, o presidente da Câmara, Misael Galvão (PSB), afirmou que deve recorrer da decisão no Tribunal de Justiça, pois segundo ele houve uma manobra para que a CPI fosse instalada.

Conforme Misael, o regimento interno determina que as comissões de inquérito sejam protocolizadas junto à primeira secretaria da Mesa Diretora, e não no Protocolo Geral, como foi feito.

“Não posso me calar, eu não vou me calar. Vou esperar os prazos da Procuradoria da Casa e vamos recorrer”, disse o presidente da Câmara ao HNT/Hipernotícias.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei