Segunda-Feira, 20 de Maio de 2019, 11h:48

Tamanho do texto A - A+

Selma Arruda pede auditoria no PS: “Já vi muita cadeia mais limpa do que aquele Pronto-Socorro Municipal”

A senadora também falou sobre a terceirização de serviços médicos no PS, local chamado por ela como “fábrica de cadáveres”.

Por: FERNANDA ESCOUTO

Senadora por Mato Grosso, Selma Arruda (PSL), em entrevista nesta segunda-feira (20), afirmou que irá pedir ao Ministério da Saúde uma auditoria no Pronto-Socorro de Cuiabá. A juíza aposentada fez o anúncio, durante entrega do título “Mulher Cidadã – Ana Maria do Couto”, na Câmara Municipal.

 

Alan Cosme/HNT

selma arruda na camara municipal de cuiaba

 Senadora Selma Arruda

“Eu já vi muita cadeia mais limpa do que aquele Pronto-Socorro Municipal. Eu não vi pouca cadeia nessa vida. São 22 anos de juíza criminal, já visitei cadeias em vários locais do país. Vi muita cadeia mais limpa que o Pronto-Socorro. Mais limpa e mais cheirosa”, disse Selma, ressaltando que irá se encontrar esta semana com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Entre várias denúncias feitas, como a falta de material hospitalar e remédios, a juíza Selma também falou sobre a terceirização de serviços médicos no Pronto-Socorro, local chamado por ela como “fábrica de cadáveres”. A parlamentar questionou a qualidade dos profissionais e a falta de um concurso público para a contratação dos mesmos.

“Essas empresas são contratadas por R$ 1,6 mil por dia, paga R$ 600 a R$ 800 por dia ao médico, por plantão. A gente sabe que médico não faz plantão por esse valor. Que médico que vem? Aquele recém-formado, que não tem experiência. Então por que o município não repassa esse valor diretamente ao médico plantonista e tem pessoa de qualidade ali dentro? Porque precisa desse atravessador pra ficar com a metade do dinheiro [...] quem é que está ganhando com isso? Onde está obediência ao princípio da economia?”, indagou.

“Nossa rede pública de saúde é uma fábrica de cadáveres. As pessoas entram no hospital com problema nem tão grave e não saem, ou saem em estado vegetativo. O povo não tem voz para lutar contra isso [...] E vou estudar projetos de lei que humanizem mais esse tipo de local. Não podemos deixar que se perpetuem também essa situação”, pontuou.

Outro lado

A secretaria de Comunicação da Prefeitura de Cuiabá, procurada pela reportagem, afirmou que irá se posicionar ainda hoje sobre as declarações da senadora Selma Arruda.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto