Segunda-Feira, 30 de Julho de 2018, 11h:35

Tamanho do texto A - A+

“Pedro Taques tinha que ser preso”, afirma Viana sobre caso dos grampos

Por: DANNA BELLE

“Eu já falei na tribuna, o senhor Pedro Taques tinha que ser preso por causa disso, é um dos maiores escândalos de Mato Grosso, eu não tenho dúvida disso”, disparou o deputado estadual Zeca Viana (PDT).

 

Alan Cosme/HiperNoticias

zeca viana

 Deputado estadual Zeca Viana (PDT)

Na madrugada de sábado (28), o cabo Gerson Corrêa citou, em depoimento, o governador Pedro Taques (PSDB) como o responsável pelas interceptações telefônicas ilegais realizadas por um núcleo da Polícia Militar em Mato Grosso, operação conhecida como Grampolândia Pantaneira.

“Para mim não é novidade, eu sempre falei que o cabeça dessa maracutaia tudo se chamava o governador Pedro Taques e o ex-secretário Paulo Taques”, declarou em entrevista à Rádio Capital 101,9 FM, na manhã desta segunda-feira (30).


“Pelo conhecimento da disciplina militar, eles não tomariam, jamais, uma decisão dessa sem seus superiores estarem coordenando ou autorizando”, complementou.

 

Zeca lamentou o depoimento ter ocorrido apenas agora, às vésperas das eleições, e acredita que a demora foi causada pelo grande processo de apuração. “Infelizmente a Justiça e a investigação são demoradas, ainda não veio à tona, e agora o cabo Gerson resolveu abrir a caixa preta, vamos dizer assim”, declarou.

 

“Um momento bastante delicado para reeleição do governador Pedro Taques, mas sobre o envolvimento dele nos grampos eu nunca tive dúvida que ele sempre teve. Com o depoimento do cabo, agora ele ressurgiu na imprensa e reviveu também essa notícia que a sociedade toda vai ficar aí cada vez mais indignada com essas atuações de Taques. Como é que ele vem dizer que ele não tem nada ver, que ele autorizou a investigação, porque ele mandou alterar o protocolo então? Como que não tem nada? Isso é claro e notório”, avalia.

 

O parlamentar acredita em punição aplicada pela Justiça, vendo necessidade de Taques responder pelos crimes, especialmente por não ter tido a conduta adequada a um chefe do Executivo Estadual.

 

“Agora ele não tem como fugir, ele pode negar o resto da vida porque é difícil um réu confesso, mas a Justiça vai ter todas as provas cabais para que possa incriminar ele, não tem mais o que ele querer escapar de uma situação dessa. Agora ele vai ter que pagar pelos erros que fez dentro do seu governo. Uma coisa que um governador de Estado tinha que, no mínimo, respeitar é a sociedade, seus adversários, todo mundo porque foram centenas e centenas de pessoas gravadas nessa escuta ilegal, totalmente contra a qualquer princípio de democracia”, finalizou.

Avalie esta matéria: Gostei +6 | Não gostei - 2

Leia mais sobre este assunto








Mais Comentadas