Terça-Feira, 06 de Agosto de 2019, 09h:43

Tamanho do texto A - A+

"O espírito de Bolsonaro ainda não baixou em mim", diz Pinheiro ao negar entrada de primeira-dama na política

Por: FERNANDA ESCOUTO

“O espírito de Bolsonaro não baixou em mim”, foi assim que o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro, descartou a possibilidade de a primeira-dama Márcia Pinheiro disputar algum cargo político futuramente.

Alan Cosme/HiperNoticias

emanuel pinheiro e marcia pinheiro

 

A comparação com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), se deve ao fato de o mesmo ter estimulado seus filhos Carlos, Flávio e Eduardo Bolsonaro a seguirem no caminho da política.

“Houve um convite, sim, para que ela [Márcia] pudesse se filiar ao partido e se habilitar em um processo eleitoral no futuro. Mas o espírito do Bolsonaro não baixou em mim e não pretendo fazer minha família inteira de políticos”, ironizou.

Pinheiro, no entanto, é pai do deputado federal Emanuelzinho (PTB), que foi eleito em 2018 para seu primeiro mandato eletivo. O rapaz tem 24 anos.

“O Emanuelzinho foi pura vocação, puro talento, foi dom de Deus que tocou o coração do meu filho e eu estimulei percebendo essa vocação”, completou o prefeito.

O chefe do Executivo ressaltou que não há interesse de sua esposa em entrar em uma disputa eleitoral, pois atualmente Márcia estaria focada em seu desempenho como primeira-dama.

“Não há esse pensamento. Por enquanto, ela está desempenhando um papel muito bom, importante e positivo como primeira-dama”, disse ele.

Família de políticos

A família Pinheiro há anos é conhecida na política de Mato Grosso. O prefeito Emanuel Pinheiro é filho do ex-deputado federal Emanuel Pinheiro da Silva Primo, que foi assassinado em 1974.

Ainda representando a família está o ex-senador Jonas Pinheiro [já falecido], que era tio do atual prefeito de Cuiabá. Celcita Pinheiro, viúva de Jonas, também foi deputada federal de 1999 a 2007.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 4

Leia mais sobre este assunto