Sexta-Feira, 12 de Abril de 2019, 19h:00

Tamanho do texto A - A+

Mauro Mendes acha que houve “fatos e dados irrefutáveis” para TRE cassar senadora

Governador avalia que não houve nenhum fato novo, para deixar de apoiar candidatura de Carlos Fávaro, numa eventual eleição suplementar,

Por: PAULO COELHO

A cassação do mandato da senadora Selma Arruda (PSL), decidida pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TREMT), na última quarta-feira (10),  segundo o  governador Mauro Mendes (DEM), por ter tido o placar de 7 a 0, parece ser irrefutável.

Secom-MT

Mauro Mendes

 

“Eu acredito que o judiciário fez [o julgamento] em cima de  fatos e dados que eu não conheço, mas por ter uma votação de sete a zero, eu reputo que deve ter fatos realmente robustos e irrefutáveis’, disse Mendes durante entrevista coletiva à imprensa, após assinatura do contrato de concessão da MT-320.

Ao ser questionado  se apoiará o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), que já anunciou sua candidatura, no caso de uma nova eleição para o Senado, Mauro  Mendes argumentou que, depois de esgotada a fase de recursos e, se for mantida a cassação da senadora pela Justiça, “o Fávaro é seguramente um grande candidato, teve o meu apoio [ em 2018 –faltou pouco para ele ter êxito] e tem todas as condições de ter o nosso  apoio novamente”.

Porém, há no grupo do governador, mais precisamente no partido dele, ao menos dois nomes que já manifestaram interesse em disputar a eleição suplementar, caso ela ocorra: Júlio Campos e, mais recentemente, o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho.

“Não houve nenhuma discussão do meu grupo político ainda. Foi recente, há muito pouco tempo.  Não vivemos aqui só pra pensar política. A principal política que fazemos aqui é administrar o Estado”, disse.

O DEM DE Mato Grosso teria, além de Botelho e Júlio, o nome também do ex-deputado federal Fábio Garcia, que atualmente é suplente do senador Jayme Campos.

Ao HiperNotícias o presidente da Assemnleia Legislativa, Eduardo Botelho, disse nessa semana que levará a discussão para dentro do partido e, assim, defenderá sua candidatura. "Meu sonho é ser senador', disse,

Além disso, por fora, correriam, além de Fávaro, o ex-deputado federal e ex-prefeito de Rondonópolis Adilson Sachetti (PRB) que, apesar de ser do mesmo grupo político de Mendes, pretende buscar o apoio do governador, devido aos laços de amizade que tem tanto com o chefe do Executivo estadual, como também com o ex-ministro Blairo Maggi (PP), amigo de ambos.

 

 

 

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei



3 Comentários

joaoderondonopolis - 14/04/2019

E quem falou que Selma deixará de ser senadora por causa da decisão do TRE? Esqueçam e vão procurar o que fazer. Quem dizem ser candidato a vaga, vai quebrar a cara.

João Carlos - 14/04/2019

Concordo plenamente com o companheiro José Luiz, no DEM o unico nome que agrega total apoio é Julio Campos, para ser o nosso candidato a Senador, pois ele não só tem serviços prestados em todos os municipios de Mato Grosso, quer seja como Governador,Senador e Deputado Federal, como tem um caracteristica impar : e´AGREGADOR, correto no seus compromissos, e defensor do nosso Partido, aliás mais doque o seu irmão, atual Senador Jaime Campos.

José Luis - 13/04/2019

Sou membro do DEM, como fui do PFL ao lado de Jonas,Julio,Jaime,Celcita,Muraro,etc. agora com relação a uma possivel nova eleição de Senador, acho que por mérito o candidato natural do DEM deve ser o Julio Campos, caso ele queira disputar, além de ser fundador do DEM, os outros dois pretendentes ( Eduardo Botelho e Fabio Garcia), são considerados cristãos novos no Partido,e já estão muito pretigiados, o Botelho é Deputado Estadual até 2022, e o Fabio Garcia,já é o 1° Suplente de Senador até 2.026, e os méritos de candidatura em 2019 é do Dr.Julio Campos.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA







Mais Comentadas



ESTÚDIO HIPER
Carlinhos Maia doa carro novo a desconhecido

Em depoimento Neymar diz que cedo ou tarde a verdade aparece

Brasileiro de 84 anos dá um show em programa americano