Sexta-Feira, 23 de Agosto de 2019, 15h:22

Tamanho do texto A - A+

"Hoje não temos essa garantia", diz Mendes sobre pagamento do 13º

Por: FERNANDA ESCOUTO

Mayke Toscano/Secom-MT

Mauro Mendes

Governador Mauro Mendes diz que vem trabalhando para melhorar arrecadação

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou sexta-feira (23) que ainda não pode garantir o pagamento do 13º salário aos servidores públicos estaduais. Ocorre que o Estado teve uma frustração de receita, devido ausência de repasse do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX), de quase R$ 850 milhões.

“Hoje não temos essa garantia. Vontade política, aliás muito mais que vontade, tem que trabalhar para que as coisas aconteçam e o governo está trabalhando muito”, disse Mendes em entrevista ao programa Bom Dia MT. 

Vale lembrar que em dezembro a folha de pagamento chegará a R$ 1,6 bilhão, sendo R$ 500 milhões de folha regular e mais R$ 560 milhões referentes ao 13º dos servidores.

 

“Temos intenção, vontade e estamos trabalhando para isso, mas depende muito da arrecadação. Não dá pra afirmar neste momento que sim ou que não, mas estamos trabalhando para buscarmos de todas as formas possíveis recursos para que em dezembro nós tenhamos o dinheiro para pagar o 13º", ressaltou. 

De acordo com o chefe do Executivo, a gestão vem buscando vários mecanismos para melhorar a receita do Estado, entre eles são programas que incentivem a população a pagar os impostos atrasados.  

“Vamos soltar agora no mês de agosto uma nova forma para facilitar a vida do cidadão, dando desconto para que ele possa voltar a pagar impostos atrasados. Estamos apertando a cobrança de impostos, estamos buscando vários mecanismos para que a receita melhore e tenhamos condições, em dezembro, de pagar o 13°”, declarou.

"Não dá pra afirmar neste momento que sim ou que não, mas estamos trabalhando para buscarmos de todas as formas possíveis recursos para que em dezembro nós tenhamos o dinheiro para pagar o 13º"

“Estamos trabalhando para isso, mas precisamos inclusive da ajuda do servidor público, porque eu, governador, e o secretário de Fazenda sozinhos, ou com meia dúzia de pessoas, até damos conta; agora, se todo servidor público que mexe com arrecadação, com áreas do governo que possam impactar na melhoria dessa relação, trabalhar um pouco mais, com certeza, nós vamos ter sucesso”, completou.

Diferente do governador, o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, afirmou que até dezembro o benefício será pago aos servidores, mesmo que de forma parcelada.

“Há possibilidade de parcelar dentro desse ano ainda. Talvez se tivermos os recursos disponíveis. Há uma possibilidade, em outubro talvez, de um adiantamento desse 13°, mas isso vai depender do comportamento da receita. O certo mesmo é que em dezembro nós teremos condições e vamos honrar com esse compromisso”, finalizou o secretário.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto