Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018, 09h:35

Tamanho do texto A - A+

Fabris se diz aliviado com decisão de desembargador que suspende condenação

Por: LEONARDO HEITOR

O deputado estadual e candidato à reeleição Gilmar Fabris (PSD) afirmou, em entrevista à Rádio Capital na manhã desta quarta-feira (19), que se sente aliviado com a decisão do desembargador José Zuquim Nogueira, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), que suspendeu a condenação do parlamentar. Fabris foi condenado em a 6 anos e 8 meses de detenção pelo crime de peculato.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

gilmar fabris

 

Fabris afirmou que a insegurança jurídica estava atrapalhando a sua campanha. O parlamentar tinha sido condenado pelo Pleno do TJMT, em junho, por ter participado de um esquema que desviou cerca de R$ 1,5 milhão da Assembleia Legislativa, em 1996, em conjunto com o ex-deputado José Geraldo Riva e servidores da Casa na época. 

 

"Foi um dia de muito alívio, porque estamos percorrendo o Mato Grosso, pedindo voto em todas as cidades e somos sempre questionados e fica difícil ter que explicar a questão também jurídica, mas graças a Deus o TJ fez justiça e acredito que agora facilita muito as nossas andanças. Esse processo está prescrito e estava nos atrapalhando bastante", desabafou Gilmar Fabris.

 

O parlamentar também comentou sobre sua prisão, em 15 de setembro de 2017, por conta da Operação Malebolge, 12ª fase da Operação Ararath. No dia anterior, Fabris saiu às pressas, de pijamas e levando uma pasta de cor preta, antes dos agentes da Polícia Federal chegarem à sua casa. O deputado acredita que este fato não o atrapalhará nas eleições deste ano.

 

"Fiquei 40 dias preso e, nesses dias todos, não sabia nem o porquê lá eu estava, até porque na gestão passada eu era suplente. Não tinha razão alguma eu receber mensalinho, como diziam.  Mas sai de lá por unanimidade. Graças a Deus, não devo nada e nem devia. Saímos de lá de cabeça erguida", comentou.

 

Leia mais

Cobertura do HiperNotícias sobre Operação Malebolge pauta imprensa da Capital

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 2

Leia mais sobre este assunto