Segunda-Feira, 05 de Março de 2018, 16h:04

Tamanho do texto A - A+

"Enfrento todo mundo, não sou filho de pai assombrado", diz Jayme sobre eleição

Por: FELIPE LEONEL

O secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande e ex-senador por Mato Grosso, Jayme Campos (DEM), disse estar pronto para uma eventual disputa ao Governo do Estado ou Senado Federal nesta eleição. Também de acordo com o ex-senador, a desistência do ministro da Agricultura e senador licenciado, Blairo Maggi (PP), de disputar a reeleição, "não facilita nada" . A declaração foi dada na manhã desta segunda-feira (5).

 

Marcos Lopes

Jayme Campos - reformas em VG

 Jayme Campos 

"Enfrento  Raimundo, todo mundo, já falei: Não sou filho de pai assombrado. Eu já fui governador e estou muito mais 'à cavalheiro', estou com todos os filhos criados. Hoje, eu estou de boa. Estou preparado. Mas não faço campanha isolado do time. Estou preparado para ser governador, senador. O candidato precisa atender a demanda da sociedade mato-grossense", afirmou Jayme Campos à jornalistas. 

 

Sobre a desistência do ministro Maggi, anunciada na segunda feira (26.02), Jayme disse que "não facilita nada" para os possíveis candidatos ao Senado Federal. Ainda segundo o democrata, ainda está longe de ocorrer as definições sobre quem será ou não candidato. Pesquisas de intenções de votos, quantitativa e qualitativa, devem ser realizadas para verificar quem tem maior possibilidade de eleição. 

 

"Normal. Faz parte do processo democrático. Não facilita nada. Até 5 de julho, vai ter muitos fatos novos. Então, temos de aguardar, ser tolerantes e pacientes. A arte da política é com o diálogo, conversar e é isso que estamos fazendo. Primeiro, nós estamos organizando o time, estruturando partidariamente. Depois de 30 de março, ai veremos quem vai ser candidato", disse. 

 

Jayme é um dos principais expoentes do Democratas no Estado.O partido ganhou muita musculatura neste ano, com as filiações do deputado federal Fábio Garcia (ex-PSB), do presidente da Assembleia, deputado estadual Eduardo Botelho (até então no PSB) e a expectativa da filiação do ex-prefeito de Cuiabá, o empresário Mauro Mendes (sem partido). O partido não aceita mais ser coadjuvante neste pleito.

 

Ainda de acordo com Campos, ele conversa com todo mundo, incluindo políticos de oposição. Ele ainda criticou as pessoas que fazem "policiamento" a respeito das pessoas com as quais os aliados não poderiam conversar. "Idiota é aquele que faz política fazendo policiamento. Acabei de conversar com uma turma agora cedo e agora to aqui. E ainda vou a Porto Velho hoje", disse. 

 

"O DEM tem vários nomes. Até o ex-senador Julio Campos está se pré-dispondo. Então, você imagina. O nosso time é rico de gente. Jayme, Julio, Botelho, Fábio, Adriano, talvez o próprio Adilton Sachetti que deu uma recuada. Tem espaço para vários candidatos, depende de como vai fazer a formatação do jogo. Não tem problema nenhum. Primeiro, precisamos ver quem está com café no bule, com voto", finalizou. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Armindo de Figueiredo Filho Figueiredo - 05/03/2018

POXA!!!POLIVALENTE.(senador, prefeito, governador)...Está apto para qualquer cargo!!!!. BASEADO EM QUE???? "RAPOSA VELHA"", não tem mais vez desta vez. Os eleitores estão de olho nessa turma. Todos viciados, mesmos discursos, mesmas ladainhas, mesmas promessas. E não fica atrás >>>OS MESMOS GRAUS DE MENTALIDADES. São os mesmos "EX". Não querem lagar os "OSSOS"". EIS O QUESTIONAMENTO QUE FICA>>>>>PORQUE NÃO>>>> EX POLÍTICO"

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA