Segunda-Feira, 04 de Novembro de 2019, 17h:31

Tamanho do texto A - A+

Em processo de cassação, vereador promete "implodir" Câmara

Por: DA REDAÇÃO

Reprodução

Adevair e Abilio

Após ter um pedido de cassação protocolado na Câmara de Vereadores, por recorrentes excessos na função parlamentar, o vereador por Cuiabá Abílio Júnior (PSC) estaria manobrando nos bastidores da Casa para conseguir desviar as atenções do seu processo ou até mesmo levá-lo ao arquivamento.

Abílio tem contra si mais de 17 boletins de ocorrência, além de denúncias de coação de servidores públicos, invasão de locais públicos, manuseio de documentos públicos sem autorização, invasão de privacidade, desacato e gravação ilegal. Tais atos culminaram no pedido de cassação do seu mandato por quebra de decoro parlamentar.

Atingindo um dos vereadores da base do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), o tucano Adevair Cabral, Abílio trouxe à tona, na última semana, uma denúncia de cunho sexual contra o colega de Parlamento. Em suas redes sociais, o vereador tem feito ameaças veladas e promete implodir a Câmara, com o que ele classificou como “spoilers” do que ainda está por vir.

“Vamos tentar, em 60 dias, mostrar o que vereadores são e fazem por Cuiabá. E isso não é ameaça, é spoiler”, diz trecho de uma postagem feita por Abílio no Instagram, no último final de semana. 

‘Primeiro alvo’

Na tarde desta quinta-feira (31), Adevair registrou um boletim de ocorrência contra o seu colega de parlamento Abílio, denunciando-o por difamação e calúnia. 

Conforme o documento, Abílio estaria mostrando uma foto de Adevair "deitado em uma cama" para outros membros da Câmara Municipal, gerando uma exposição e constrangimento. Entretanto, a foto mencionada no BO estaria relacionada a uma suposta denúncia de assédio sexual. 

De acordo com Abílio, uma servidora da pasta municipal de Saúde teria o procurado, há um ano, para dizer que estaria sendo assediada por Adevair.

“Ela me procurou apavorada, em pânico, para dizer que o Adevair mandou uma imagem constrangedora, da cintura para baixo, para ela [um nude]. Quando ela recebeu a foto, ela 'cortou' ele e a partir do momento que ela se nega a essa situação, começaram a perseguí-la dentro do seu trabalho”, explicou.

Abílio conta que só teve a certeza de que era o seu colega de parlamento, na foto, após o boletim de ocorrência feito na última quinta-feira. Nele, Adevair confirma que é ele mesmo a pessoa da imagem.

Em outro processo que segue sendo inverstigado desde 2017 pelo Ministério Público Eleitoral (MPE-MT), Adevair é investigado por crimes de favorecimento à prostituição, exploração sexual de vulnerável (menor de 14 anos) e crimes contra criança e adolescente. 

Defesa 

Nesta segunda-feira (4), o prefeito da Capital saiu em defesa de Adevair, e classificou as notícias vinculadas na imprensa sobre os supostos assédios como “condenação pública precipitada”. 

“Eu conheço o Adevair, conheço o vereador, tenho certeza que ele vai provar que não tem nada com isso. Ele está muito chocado com todas essas notícias. É a palavra de uma pessoa contra ele. Ela vai ter que provar. Infelizmente, há uma condenação pública precipitada, antecipada, que macula uma carreira, uma vida pública e profissional de anos, irretocável, irrepreensível, sem nenhuma mácula”, disse Pinheiro.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei



2 Comentários

Elizandra dos Santos - 05/11/2019

É fácil caçar quem está trabalhando pelo povo, fazendo o que foi eleito pra fazer. Que feio vereadores vão trabalhar e fiscalizar como ele está fazendo, assim não terão inveja,pq estão só sentadinhos enquanto recebendo seu ótimo salário enquanto o povo padece,deixa o Abílio continuar trabalhando e vão fazer o mesmo, talvez ele não tenha aceito entrar pra corja de vocês aí agora vocês o querem fora daí,pra não descobrir coisas ocultas suas né

Crítico - 04/11/2019

Mané do Paletó não tem moral em falar de IDONEIDADE.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA



Últimas Notícias