Segunda-Feira, 12 de Agosto de 2019, 14h:24

Tamanho do texto A - A+

Dilemário dá nota "4" a Emanuel; "acabou o tempo do "rouba mas faz"

Por: PAULO COELHO

"A imagem do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) embolsando dinheiro público, supostamente fruto de propina, conforme delações do ex-governador Silval Barbosa e do ex-chefe de gabinete Silvio Corrêa, está impregnada no imaginário popular".

Hnt/Hipernoticias

Dilem?rio Alencar /Entrevista HNT

Esta é avaliação do vereador por Cuiabá Dilemário Alencar (PROS), que faz oposição ao prefeito. Em entrevista ao HNT/HiperNotícias, ele deu “nota 4” à gestão de Pinheiro. Segundo ele, pela “má administração” e principalmente pelo escândalo do “paletó”, Emanuel seria reprovado nas urnas, no caso de uma tentativa de reeleição em 2020.

As imagens do flagrante vieram à tôna após delação do ex-governador. Além de Emanuel, diversos deputados foram filmados recebendo malotes de dinheiro. O prefeito, que era deputado estadual à época, encheu os bolsos do paletó e chegou a deixar cair um maço no chão. Até hoje Emanuel não conseguiu explicar o motivo pelo qual estava recebendo os valores. Silval e Sílvio, no entanto, disseram à justiça: “Aquilo era propina”.

“Acho que passou o tempo da política do ‘rouba mas faz’. Por mais que o gestor tente fazer uma administração eficiente, o que não é o caso do atual prefeito, essa questão conceitual pesa muito para o voto majoritário”, opinou Dilemário, ao fazer comparações com vários exemplos, onde houve flagrantes semelhantes e que não receberam o “perdão” do eleitor na hora do voto.

“Cito como exemplo, o ex-governador do Distrito Federal [José Roberto], que foi flagrado recebendo dinheiro de suposta propina de seu secretário da Casa Civil. Cito os exemplos dos ex-deputados aqui de Mato Grosso, que apareceram em vídeo, pegando dinheiro de suposta propina, paga pelo ex-governador Silval Barbosa, nenhum se reelegeu. O povo, nesse aspecto, marca e de forma acertada não vota mais nesses políticos que se envolveram em esquema de corrupção, sendo inclusive flagrados em vídeos. Então eu acho muito difícil uma reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro, até porque esse vídeo, vai ser o fator mais explorado pelos seus adversários”, emendou Dilemário.

A nota 4 atribuída à gestão de Emanuel, conforme o vereador, se deve a vários fatores que estariam comprometendo a  prestação dos principais serviços públicos municipais à população.

"Para o pronto socorro novo já vieram do Governo Federal quase R$ 115 milhões e até agora nada. Não está funcionando 100%"

“Pra mim, merece no máximo uma nota 4. Na Educação, não avançou no IDEB, a maioria das escolas está caindo aos pedaços. A Saúde tá muito mal, as unidades de saúde, em sua grande maioria também está caindo aos pedaços. Para esse pronto socorro novo já vieram do Governo Federal quase 115 milhões e até agora nada. Não está funcionando 100%". 

"No trânsito há muita reclamação. Colocaram-se os semáforos, chamados inteligentes, gastaram mais de R$ 15 milhões e sequer esses semáforos têm temporizadores. Hoje a marca desses semáforos inteligentes é a indústria de multas. A iluminação pública em Cuiabá em muitos lugares é deficiente; a coleta de lixo teve o preço duplicado, saindo de R$ 22 milhões, no ano passado, passando  para quase  44 milhões”, disparou ele.

O ponto positivo da gestão de Pinheiro seria o pagamento da RGA [Revisão Geral Anual] e os salários estão em dia. Dilemário enfatizou que, a Saúde  retrocedeu, por conta da falta de remédios nas unidades, bem como no pronto-socorro e UPAs.

NOVO HMC

Segundo o vereador, mesmo com a inauguração parcial do novo Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) o Samu continua enviando os pacientes ao antigo Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). O novo hospital está na quarta etapa das entregas.

"Essa novela do novo pronto socorro, ele já inaugurou quatro vezes, mas acontece o seguinte: se hoje um cidadão sofrer um acidente, ele vai ser atendido onde? No novo ou antigo pronto socorro? Ele continua sendo atendido no antigo. O que demonstra que não avançou, mesmo com a construção desse novo pronto socorro”.

O parlamentar também denuncia que no setor da Saúde, em Cuiabá, há 32 obras paralisadas.

“A UPA Verdão, que ele recebeu do ex-prefeito Mauro Mendes com 85% da obra já concluída, até agora nada. A UPA do Leblon a mesma coisa, a obra está praticamente parada. Portanto não avançou, o secretário de saúde criou um prêmio-saúde pra ele mesmo, no valor de sete mil reais e só voltou atrás porque nós denunciamos no TCE.  O prefeito, só para esse ano teve um orçamento de quase R$ 800 milhões para área da Saúde e ainda falta morfina no pronto socorro, faltam luvas, faltam insumos básicos nas unidades de Saúde. Dinheiro  teve e gestão foi ineficiente, faltou gestão”, enfatizou.

TRANSPORTE COLETIVO

Divulgação

Dilem?rio Alencar

Vereador Dilemário Alencar

O transporte coletivo também não passou despercebido das críticas de Dilemário Alencar. Especialmente quanto à promessa de Pinheiro de licitar o transporte, em seu primeiro ano de gestão. De acordo com Dilemário, no edital havia diversos equívocos, como por exemplo a exigência de que apenas 30% da frota tivesse ar condicionado

"A gente quer que seja 100% dos ônibus com ar-condicionado, além de uma série de outros apontamentos que fizemos que, se ficasse daquela forma que estava, iria privilegiar as mesmas empresas que estão aí, então não iria melhorar nada para o usuário”, apontou, acrescentando que o MPE foi acionado e que isso fez com que a prefeitura  suspendesse o edital.

“Só que já passaram-se mais de 30 dias e a prefeitura ainda não recolocou esse edital e estamos de olho, pois queremos que ele venha com ônibus com 100% de ar-condicionado, garantias de renovação da frota, garantias de acessibilidade para as pessoas com deficiência e para os idoso, com mais ônibus no horário de pico.

A prefeitura não republicou o novo edital e fez uma prorrogação dos contratos com a mesmas empresas que estão atuando no setor há 15 anos.

OUTRO LADO

A reportagem do HNT/HiperNotícias tentou falar, por telefone, com a liderança do prefeito na Câmara e com próprio prefeito Emanuel Pinheiro, mas as ligações não foram atendidas e nem retornadas.

Confira os vídeos com trechos da entrevista:

                                 

 

                                

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto