Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019, 12h:27

Tamanho do texto A - A+

Após prisão, Barranco defende assessor acusado de desvio na Seduc

Por: FERNANDA ESCOUTO

Após a prisão do ex-secretário adjunto da secretaria estadual de Educação (Seduc) e atual assessor parlamentar na Assembleia Legislativa, Francisvaldo Pereira de Assunção, nesta segunda-feira (19), o deputado estadual Valdir Barranco (PT) afirmou que não há qualquer ato de seu conhecimento que desabone a conduta do servidor lotado em seu gabinete.

Alan Cosme/HiperNoticias

valdir barranco

Deputado Valdir Barranco

De acordo com Barranco, o servidor que é analista administrativo, está cedido à Casa de Leis desde maio de 2018.

Francisvaldo foi preso durante a operação "Fake Delivery", deflagrada pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Administração Pública (Defaz).

Ele é acusado de desviar mais de R$ 1,1 milhão dos cofres públicos, enquanto atuava como adjunto na Seduc, durante a gestão Silval Barbosa. A pasta era gerida, à época, pela deputada federal Rosa Neide (PT), que também foi alvo na operação.

O desvio teria sido realizado, por meio de uma suposta compra de materiais destinados às escolas indígenas. Elementos iniciais da análise dos processos apontam que parte dos materiais escolares foram entregues no setor de patrimônio da Seduc, correspondente ao valor de R$ 884.956,48 e que o montante de R$ 1.134.836,76 em material foi “supostamente” entregue diretamente na sede da Pasta, a Francisvaldo, sem que restasse evidenciado o destino desse volume expressivo de mercadoria.

Na investigação há ainda outro indicativo de que os materiais foram adquiridos já com o propósito criminoso de desviar o patrimônio público em benefício particular, vez que o próprio coordenador da Coordenadoria de Educação Escolar Indígena, à época, declarou que não lhe foi solicitado qualquer tipo de informação.

O ex-secretário foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Diamantino (184 km de Cuiabá). Ele foi preso dirigindo um Renault Fluence, placas de Cuiabá, e relatou que seguia para Nortelândia (228 km de Cuiabá).

Busca e apreensão

Ainda na mesma operação, a ex-secretária da Seduc e atual deputada federal, Rosa Neide (PT), teve um mandato de busca e apreensão expedido contra ela. A deputada declarou que, embora não seja investigada, irá colaborar com a polícia.

Veja na íntegra a nota do deputado Valdir Barranco:

O deputado estadual Valdir Barranco (PT-MT) acompanha atentamente, através da imprensa, os desdobramentos da operação “Fake Delivery” que envolve o servidor público, analista administrativo, Francisvaldo Pereira de Assunção, cedido à AL MT, desde maio último. Até o presente momento, não há qualquer ato de seu conhecimento que desabone a conduta do servidor de carreira.

Leia mais:

https://www.hipernoticias.com.br/policia//deputada-rosa-neide-e-ex-adjunto-sao-alvos-da-defaz-por-desvios-na-seduc/137645

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei