Quinta-Feira, 10 de Outubro de 2019, 08h:51

Tamanho do texto A - A+

PM suspeito de matar enfermeira já respondia processo demissório

Por: EDIÉLISSA EDUARDA

O policial militar Marcos Vinicius Pereira Ricardi, 26 anos, suspeito de ter matado a enfermeira Zuilda Correia Rodrigues, em Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá), está afastado das funções militares há pouco mais de dois meses e já responde por processo demissório.

Reprodução

PM

De acordo com a nota publicada pela Polícia Militar, Marcos Vinicius já havia sido investigado por denúncia de peculato, definido pelo Código Penal do artigo 312, como apropriação por parte do funcionário público, de um bem que ele tenha acesso por conta do cargo que ocupa ou ainda desvio de bem para benefício próprio ou de outras pessoas.

Devido o suposto crime, a corregedoria da instituição instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para investigar a conduta do agente.

Durante os trabalhos, os investigadores, que também são policiais militares, encontraram indícios da participação do militar no crime e abriram um processo administrativo chamado Conselho de Disciplina.

Esse conselho é a última etapa da investigação, quando é confirmada a incapacidade do militar de permanecer na ativa conforme estabelece a Lei Estadual de número 3.800/76. A norma, segundo a Polícia Militar, exige o afastamento do policial até que seja emitida a decisão definitiva.

Prisão do militar

Marcos Vinicius Pereira Ricardi, 26 anos, foi preso pela Polícia Civil suspeito de ter assassinado e jogado o corpo da enfermeira Zuilda Correia Rodrigues, de 43 anos, em um córrego da Estrada Ruth, na região do bairro Jardim Terra Rica, na cidade de Sinop.

Ao ser detido, o PM disse que o crime foi encomendado pelo marido da vítima, o empresário Ronaldo da Rosa, que está foragido.

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei







Mais Comentadas