Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019, 17h:26

Tamanho do texto A - A+

Juíza manda soltar investigadores presos por extorsão

Por: LUIS VINICIUS

A juíza Marilza Aparecida Vitório, da 2º Vara Criminal de Várzea Grande, concedeu liberdade provisória aos investigadores Juracy Campos de Aguiar, 49 anos, e Leonel Virgolino Pacheco, 41 anos, presos suspeitos de extorquirem um empresário, no bairro Santa Isabel, na Cidade Industrial. 

Mayke Toscano/Hipernotícias

Fórum de VG

 

A decisão foi tomada durante audiência de custódia realizada na tarde desta quinta-feira (17), no Fórum de Várzea Grande. No entanto, durante o procedimento, a magistrada determinou a perca da função pública dos agentes e que os policiais não tenham contado com a vítima e testemunhas da investigação.

Diante disso, os agentes deixarão as unidades que estavam presos desde a tarde de terça-feira (15) e retornarem as suas residências. No entanto, os suspeitos deverão continuar respondendo o processo. 

As prisões

 

As detenções foram realizadas pela Corregedoria da Polícia Civil em conjunto com o Grupo de Operações Especiais (GOE). 

 

Os corregedores informaram que receberam uma denúncia anônima, por telefone, na última sexta-feira (11), relatando que dois policiais civis teriam ido à auto elétrica exigir dinheiro para o dono do estabelecimento.

 

No entanto, o denunciante não relatou qual o motivo da extorsão.

Diante da queixa, a Corregedoria emitiu uma ordem de serviço determinando que o caso fosse investigado. Durante os trabalhos, os policiais conseguiram o telefone da vítima.

Os corregedores entraram em contato com o proprietário da auto elétrica que sugeriu um encontro em uma loja na cidade de Várzea Grande. 

Na conversa, a vítima relatou que foi procurado por dois policiais civis em sua oficina no dia 07 de outubro exigindo a quantia de R$ 30 mil para não apreenderam o caminhão do empresário, pois segundo os suspeitos, o veículo estava com a cabine “esquentada”, ou seja, irregular.

Porém, a vítima negociou dizendo que só poderia pagar R$ 5 mil, sendo R$ 3 mil naquele momento e mais R$ 2 mil em uma data posterior.

Os investigadores teriam aceitado a condição e disseram que voltariam para buscar os R$ 2 mil nesta terça-feira (15). Diante disso, os corregedores orientaram a vítima para registrar, em foto, os números de série das notas que seriam entregues e em seguida, contatá-los, pelo Whatsapp, assim que entregasse a quantia.

O proprietário da auto elétrica seguiu as orientações e combinou de entregar o dinheiro aos investigadores nesta terça-feira, às 15 horas, em um posto de combustível em Várzea Grande.

Às 15h:05, os corregedores se aproximaram do local combinado entre a vítima e os suspeitos. Os policiais ficaram acompanhando toda a ação dos policiais Juracy e Leonel.

Logo depois, os suspeitos chegaram em um veículo VW Gol e a vítima foi ao encontro deles e repassou o valor de R$ 2 mil.

Após pegarem o dinheiro, os policiais se deslocaram sentido Cuiabá, sendo seguidos pela equipe de corregedores e uma equipe do GOE.

Pouco tempo depois, Juracy e Leonel foram abordados e localizados com eles a quantia de R$ 3.113,00.

No momento da abordagem, foram identificadas o valor de R$ 1.559,00 na carteira de Juracy, e R$ 1.554,00 no bolso de Leonel. Este último, ainda jogou um celular em baixo do banco.

Foram apreendidos também um radiocomunicador e alguns documentos, tais como ordens de serviços e rascunho com anotações.

Leia mais

Dois investigadores são presos por extorquirem empresário em VG

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei