Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 16h:59

Tamanho do texto A - A+

Diálogos com namorada revelam preocupação de tenente em ser descoberto

Por: LUIS VINICIUS

O tenente da Polícia Militar Cleber de Souza Ferreira estava preocupado com a apreensão de 86 celulares na Penitenciária Central do Estado (PCE) e com a pistola 9 mm que foi objeto de investigação da “Operação Coverage”, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), na manhã de quarta-feira (21).

cleber print.jpg

 

A preocupação do policial teria sido demonstrada em uma conversa que o militar teve com a sua namorada no WhatsApp. À mulher, que também é militar, Cleber relatou que estava apreensivo com dois “QTCs”, jargão militar usado para se referir a uma ocorrência.

Em um print, que a reportagem teve acesso, é possível ver o diálogo entre o casal. A militar chega a elogiar Cleber, mas em seguida, relata estar passando por problemas psicológicos. Porém, na imagem, não consta qual é a dificuldade discutida pelo casal.

“Você é uma pessoa maravilhosa, correto, digno, tem uma carreira toda pela frente, eu sei disso...Mas isso não supri minhas dificuldades psicológicas nesse momento”, escreveu a mulher.

Logo depois, o tenente concorda sobre a dificuldade do momento. “Eu sei que não é fácil”, concorda o oficial. Em seguida, Cleber tentar convencer a namorada sobre a resolução do caso. “Mas, estou tentando resolver”, relata em outra mensagem.

A seguir, Cleber relata preocupação sobre os casos em que é investigado. “Esse 'QTC' da arma. Agora esses celulares”, relatou. Por fim, a mulher alega que não está mais aguentando o suposto problema. “Eu não estou mais suportando”, completou.

Essas informações foram extraídas do celular do oficial quando o aparelho foi apreendido durante a “Operação Assepsia”, deflagrada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), no dia 18 de junho.

Diálogo que chamou atenção de investigadores: "Esse 'QTC' da arma. Agora esses celulares".

Além de Cleber, os policiais prenderam o sub-tenente Ricardo de Souza Carvalhaes de Oliveira, o cabo Denizel Moreira dos Santos Júnior, o diretor da penitenciária Revétrio Francisco de Souza, o subdiretor Reginaldo Alves dos Santos, o “Peixe”, o detento Paulo César da Silva (Petróleo), e Luciano Mariano da Silva (Marreta).

Além do mandado de prisão, os agentes cumpriram mandado de busca, a qual foram apreendidos, o celular, uma arma de 9 mm, de marca Glock, e o registro do tenente Cleber.

Depois da apreensão, o aparelho foi encaminhado à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), onde foram realizadas extrações de conversas do aplicativo WhatsApp.

Desses diálogos, os policiais descobriram um suposto grupo criminoso composto pelo próprio tenente Cleber, tenente Thiago Satiro Albino; tenente coronel Marcos Eduardo Ticianel Paccola e o tenente coronel Sada Ribeiro Parreira, alvos da Operação Coverage.

 

Leia mais

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 2