Domingo, 22 de Julho de 2018, 08h:38

Tamanho do texto A - A+

Depois da prisão de maníaco, quatro novas crianças procuram delegacia para denunciar violência

Por: LUIS VINICIUS

Após a repercussão de vários veículos de comunicação sobre a prisão do estuprador em série, Cid Mauro da Silva, de 45 anos, outras quatro crianças de seis a 11 anos, procuraram a Delegacia Especializada de Defesa da Criança e Adolescente (Deddica), para denunciar que já foram vítimas do maníaco da moto. O homem foi preso no dia 9 de julho, pela Polícia Civil, acusado de estuprar oito crianças na região do Morada do Ouro, em Cuiabá. Ele confessou todos os crimes.

 

Reprodução

cidi estuprador em serie

 

O estuprador foi preso enquanto fazia uma visita ao Pronto-Socorro de Cuiabá (PSMC). Detido, ele confessou a autoria de sete estupros - dos oito a ele atribuídos – e apontou com riqueza de detalhes suas ações criminosas. “As vítimas eram levadas para região da ponte de ferro, onde eram violentadas sexualmente e depois deixadas próximo às suas casas”, conforme consta em relatório policial.

 

Quatro dias após a prisão do maníaco, oito vítimas compareceram à Deddica para fazer o trabalho de reconhecimento pessoal. Durante a identificação, cinco homens foram colocados à disposição das oito crianças para que apontassem o estuprador. As meninas foram unânimes em apontar Cid como o homem que as estuprou e ameaçou de morte. Uma das crianças se emocionou ao reconhecer o preso e disse que só não foi estuprada, porque conseguiu fugir.

 

Após a repercussão do caso nos sites e nas emissoras de TV, outras vítimas procuraram a delegacia para denunciar o estuprador. Uma das crianças relatou que o maníaco tentou agarrá-la quando ela estava a caminho da escola. “Eu consegui desviar dele e saí correndo, por isso ele não conseguiu me atacar. Quando vi a foto dele, tive a certeza que foi ele que tentou me pegar lá perto da Ponte de Ferro. Graças a Deus consegui fugir, mas fico triste por saber que outras meninas foram atacadas por ele”, disse uma das vítimas que procurou a unidade policial.

 

O delegado titular da Deddica, Daniel Lemos Valente, afirma que Cid é um maníaco que atua sempre no mesmo local, na região do CPA.

 

“As vítimas disseram que ele age de maneira cirúrgica, em uma mesma região geográfica Grande Morada da Serra: bairros Doutor Fábio, Novo Paraíso, região do Barreiro Branco, próximo ao lixão. Ele elegia como vítimas, crianças dos sete aos 12 anos de idade, em situação de vulnerabilidade e desacompanhadas dos responsáveis. Geralmente, ele esperava as vítimas irem para a escola para as atacar”, explicou a autoridade policial.

 

Em entrevista ao HiperNotícias, uma das vítimas, disse que se sentiu aliviada após a prisão do criminoso. Para ela, o criminoso merecia um castigo maior.

 

“A prisão dele para mim é um alívio. Mas ele merecia mesmo é a morte, pois o que ele fez comigo e com as outras meninas foi uma tortura. Ele esperava a gente ficar sozinha para poder nos atacar. Ele chegava oferecia balas e até dinheiro, para que a gente montasse na moto dele. Quando alguém recusava, ele agarrava e levava para um matagal. Logo depois, ele arrancava a nossa roupa e nos violentava”, disse à reportagem.

 

A menina disse que o crime aconteceu no ano de 2017 e até hoje sofre ao lembrar do abuso.

 

Cid está preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo Carumbé, onde permanece à disposição da Justiça. Além da violência contra as meninas cuiabanas, o homem também é acusado de estupros em Mato Grosso do Sul.

 

 

Leia também 

 

Maníaco da moto, estuprador em série é preso em Cuiabá acusado de violentar 8 crianças 

 

Vítimas reconhecem estuprador em série; uma das crianças chora ao ver criminoso 

 

"A prisão dele é um alívio, mas preferia ele morto", diz menina estuprada por maníaco

 

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto