Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019, 15h:51

Tamanho do texto A - A+

Crimes de homicídios reduziram em 30% durante "faxina" na PCE

Por: LUIS VINICIUS

Um balanço feito pela Secretaria de Segurança Pública (Sesp) aponta que houve uma redução de 30% nos crimes de homicídios, durante a “Operação Elison Douglas”, realizada para retirar limpeza e reforma na Penitenciária Central do Estado (PCE). Os dados foram repassados nesta segunda-feira (16) pelo secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Alan Cosme/HNT/HiperNoticias

Alexandre bustamante

 Secretário de Segurnaça Pública, Alexandre Bustamante

A ação teve início no dia 12 de agosto e foi prorrogada até 12 de outubro. Durante os primeiros 30 dias, foram apreendidos 171 celulares, 506 chips, 12 baterias avulsas, armas artesanais, além de 352 cadernos com anotações nas celas dos detentos.

Diversas investigações da Polícia Civil apontam que os crimes cometidos em Mato Grosso, sendo eles homicídios, roubos e furtos, são a mandos de presidiários da maior unidade penitenciária de Mato Grosso, a PCE.

Os detentos utilizam-se de celulares para entrarem em contato com criminosos em liberdade e ordenarem a execução dos crimes. Geralmente, as ordens partem dos líderes de facções para aquele ou aquela que desobedece ou tenta “atrapalhar” os trabalhos da organização criminosa no “lado externo” do presídio.

BALANÇO

De acordo com o secretário, durante esse mesmo período no ano de 2018, 90 pessoas foram assassinadas no Estado. Já neste ano, o número caiu para 63. Ou seja, uma redução de 30%.

Além disso, houve uma redução nos crimes de roubo. Neste mesmo período de 2018 foram registrados 1.293, enquanto que este ano são 1.031. Sendo assim, uma redução de 20%. Também houve um decréscimo nos crimes de roubos de carro. No ano passado foram 167. Já em 2019, os registros batem a casa de 128, uma baixa de 23%.

“É interessante que, além do trabalho na parte externa, um dos fatores que estão sendo levados em consideração nos índices de criminalidade é essa operação. Ela faz parte de um conjunto de medidas que estão refletindo na redução da criminalidade. Um exemplo é essa redução dos homicídios. Para ser considerado redução, há um conjunto de fatores. Além da operação na PCE, nós temos um aumento do policiamento na rua e uma resolutividade maior das investigações”, disse o secretário.

LIMPEZA

pce nova.jpg

 Ala após reforma, pintura e retirada de todas as tomadas de dentro das celas

Com a limpeza e retirada de privilégios das celas, como freezers, micro-ondas, forno elétrico, aparelhos musicais, televisores e até churrasqueira, foi possível fazer obras e ampliar mais 137 leitos.

Bustamante avaliou que a primeira fase da operação na PCE foi bastante satisfatória, resultando em um local mais salubre, organizado e que possibilitou a ampliação de leitos aos recuperandos.

“A primeira fase se encerra completados os 30 dias. Agora, passamos para outras atividades, que são os procedimentos internos, como a mudança na data das visitas e a quantidade de alimentos para dentro dos presídios, tudo para termos um melhor controle.

 

"Está proibida de toda ordem a circulação de papel moeda dentro da unidade, então todo o processo de aquisição de qualquer produto, será feito por meio de crédito na conta do recuperando, junto à associação dos servidores que administra a cantina dentro da PCE”, destaca.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei - 2







Mais Comentadas