Sexta-Feira, 09 de Agosto de 2019, 17h:32

Tamanho do texto A - A+

Confusão no Creci envolve polícia e ex-secretário; um é detido

Por: LUIS VINICIUS

A Delegacia Especializada do Consumidor (Decon) deteve na tarde desta sexta-feira (9) um homem, identificado como P.D.R.S., 19 anos, por exercício irregular da profissão. A ação policial aconteceu em uma imobiliária, localizada no bairro Jardim Imperial, em Cuiabá. 

CRECI/MT

 

O empreendimento, segundo a Polícia Civil, pertence ao vice-presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóvel de Mato Grosso (Creci), Claudecir Roque Contreira.

Ao HNT / HiperNotícias, o corretor rebateu a acusação e disse que está sofrendo perseguição por parte do presidente do órgão, Benedito Odário Conceição e Silva.

À reportagem, Claudecir disse que Benedito possui um contrato ilegal com o ex-presidente do MT Saúde, Yuri Bastos Jorge, para exploração de um aplicativo de corretagem de imóveis chamado “Toc Toc”.

Esse programa, de acordo com os criadores, traz mais facilidade para as negociações e vendas de imóveis. O software é gratuito.

“É uma perseguição. Neste momento, estamos tendo divergências no combate à ilegalidade. A empresa do senhor Yuri Jorge Bastos, ex-presidente do MT Saúde, criou um aplicativo que não tem inscrição no conselho, mas ele faz o trabalho imobiliário, inclusive com placas anunciando imóveis. Eu, e muitos outros conselheiros e corretores, não podemos concordar com isso porque é irregular e ilegal e parte da diretoria do atual Creci, incluindo o presidente Benedito, o secretário e tesoureiro, estão em conluio com o Yuri”, disparou ele.

Claudecir Contreira se disse a favor da tecnologia, mas alegou que o aplicativo faz o trabalho de imobiliária.

“O aplicativo é bem-vindo, sou fã de tecnologia, mas é pra anúncios. A partir do momento que o aplicativo fala que vai receber honorários para pagar o corretor, que vai receber documentos, ir ao cartório e anunciar em placas de outdoor, significa que ele está fazendo o trabalho de uma imobiliária”.

O vice-presidente afirmou também que Benedito já foi denunciado por crime de desvios de dinheiro. Além disso, o vice-presidente disse que não irá representar judicialmente contra as pessoas que ele acusa de perseguição.

“Não vou perder tempo com medidas judiciais. Tenho uma classe para cuidar, na qual o presidente está envolvido em denúncias de desvio de dinheiro, que não fui eu que denunciei, foram funcionários do Creci que denunciaram ele. E ele também está envolto em vendas de diploma, por conta de ser dono de uma escola de corretores”, completou.

UM PRESO

Claudecir afirmou que o jovem detido não exerce a profissão. Segundo ele, P.D.R.S., 19 anos, estava no estabelecimento “jogando videogame para usar a wifi”. O jovem seria um amigo de seu filho.

“Acharam um menino, que é amigo do meu filho, que joga videogame na imobiliária e autuaram ele por exercício ilegal. Ele foi até a delegacia porque é maior de idade, para esclarecer o caso. Se estivesse fazendo algo, seria uma contravenção penal. É desnecessário encaminhar ele para a delegacia, mas eu entendo”, justificou.

Por fim, o vice-presidente disse que irá acionar os outros membros do conselho para que Yuri seja autuado por exercício irregular da profissão.

“Mandei mensagem para cada um dos 8 mil corretores de imóveis de Mato Grosso, via WhatsApp, com a minha nota em resposta à nota de repúdio em relação a minha cobrança para autuar o senhor Yuri por exercício e atividade irregular da profissão”.

Confira a nota de repúdio do Crea AQUI.

O QUE DIZEM OS CITADOS

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Creci, mas as nossas ligações não foram atendidas.

O HNT/HiperNotícias também ligou para Yuri Bastos Jorge, mas não conseguimos contato.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1







Mais Comentadas