Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 10h:30

Tamanho do texto A - A+

Agente de tributo estadual é preso no Aeroporto Marechal Rondon suspeito de crime de extorsão

Por: LUIS VINICIUS

Assessoria/PJC-MT

Pris?o agente de tributos - entrevista delegado

 Delegado Anderson Veiga em entrevista à imprensa

Policiais da Defaz (Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública) prenderam na manhã desta quinta-feira (23) o agente de tributos estadual Mário Sérgio de Campos, 65 anos. Ele foi detido no setor de cargas do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, suspeito de crime de extorsão.

O agente foi levado para a sede da unidade policial para prestar depoimento ao delegado titular, Anderson Veiga. 

De acordo com a autoridade policial, esta semana a vítima, que não teve o nome revelado, o procurou e disse que despachou alguns conjuntos de rodas de São Paulo para Cuiabá, e quando o pedido chegou no aeroporto, a fiscalização registrou um auto de infração.

A vítima relatou que foi procurada pelo agente público para que fosse feita a liberação destas rodas e, para que fosse cancelada a autuação, seria cobrado o valor de R$ 500.

“Antes mesmo de negociar com o agente, a vítima informou à polícia e, diante desta situação, de flagrância, ainda, por conta dessa exigência, nos designamos um delegado e uma equipe para que acompanhassem essa diligência. Verificamos que realmente se tratava de um crime de concussão de agente público, que foi identificado, e, constatado o fato, foram adotadas as medidas legais cabíveis”, explicou o delegado ao HiperNotícias.

Assessoria/PJC-MT

Pris?o agente de tributos - dinheiro e celular apreendidos


Conforme Anderson Veiga, a constatação do crime ficou mais evidente porque as negociações foram feitas por telefone e pelo aplicativo whatsapp.

“Por whatsapp fica mais simples constatar, porque ficam os registros escritos”, acrescentou o delegado. A polícia agora quer saber se já houve outros casos de extorsão envolvendo o agente, e o interrogatório vai ajudar a polícia nesta investigação.

Avalie esta matéria: Gostei +4 | Não gostei