Sábado, 14 de Setembro de 2019, 15h:56

Tamanho do texto A - A+

Judiciário de Mato Grosso desenvolve ações com foco no ‘Setembro Amarelo’

Por: REDAÇÃO

No Brasil, a cada 45 minutos uma pessoa tira a própria vida. É preciso um olhar atento e, por isso, o Poder Judiciário de Mato Grosso apoia a campanha ‘Setembro Amarelo’, que tem como foco a prevenção do suicídio e a importância de se falar sobre o assunto. Ações estão sendo desenvolvidas desde o início do mês, na Capital e em todas as Comarcas do interior, como a iluminação da sede do Tribunal de Justiça e distribuição de panfletos, como forma de conscientização.
 

Reprodução

Setembro amarelo

Imagem ilustrativa

Dentre as iniciativas realizadas pelo programa Bem Viver, vinculado à Coordenadoria de Recursos Humanos (CRH), está também a palestra “A vontade de ser feliz – A vida é a melhor escolha”, aberta ao público com o psicólogo Afro Setfanini, que vai ser realizada no dia 18 de setembro (quarta-feira), às 10h, no Auditório Gervásio Leite, no Palácio da Justiça, em Cuiabá.
 
Os caminhos para a felicidade emocional, a importância do afeto e apoio são fundamentais para o bem estar das pessoas que, muitas vezes, estão sobrevivendo mentalmente. De acordo com o palestrante, a teoria do bem estar, conforme a Psicologia, contempla relacionamentos e emoções positivas, uma causa para viver e a realização de atividades que realmente proporcionem prazer.
 
“Na sociedade atual, o movimento de afetividade é até preventivo na questão da depressão e do suicídio, sermos pessoas que se importam umas com as outras. Importante prestar atenção nos sinais que a pessoa está dando, como isolamento repentino, falas de despedida ou quando a pessoa para de dar importância ao vínculo familiar e aos projetos de vida. A intervenção amorosa, sem julgar, sem preconceito, com coração e ouvidos atentos é importante para que essas pessoas se sintam acolhidas”, explica.
 
E é exatamente esse tipo de auxílio que uma pessoa precisa. Após a perda da avó, Daniela Godoy, casada, com três filhos, há sete anos foi diagnosticada com bipolaridade e depressão. Ela passou por muitos momentos difíceis, viu a vida ‘virar de cabeça para baixo’ e em meio a todas as dificuldades que vivenciou procurou auxílio de profissionais e hoje tenta superar a doença.
 
A dificuldade em aceitar tratamento, a vergonha e o preconceito das pessoas mais próximas são algumas das barreiras que Daniela encontrou ao longo do caminho. “Tudo é difícil quando você está na fase depressiva. Esperava compreensão e um abraço, só quem passa por isso sabe o que é. Não é frescura. Reconhecer que está doente junto com o tratamento é o início, isso caminha lado a lado. Hoje me sinto viva, passei a acreditar em mim, que vou melhorar, passei a acreditar em Deus. Quem estiver passando por isso, a mensagem que deixo é se conhecer, procurar ajuda e conversar com outras pessoas. A gente não sai dessa sozinho, precisamos sempre de alguém para nos levantar. É preciso ter muita compreensão e amor”, relata.
 
Para ouvir e auxiliar na prevenção do suicídio e dar apoio emocional, o Centro de Valorização da Vida (CVV) oferece serviço de graça, tanto por telefone (dique 188), quanto pessoalmente. O Centro conta com voluntários, como Homar Capistrano, que passam por treinamento para poder ajudar pessoas. As ligações são de graça, anônimas e sigilosas.
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas