Quarta-Feira, 21 de Fevereiro de 2018, 08h:08

Tamanho do texto A - A+

Desembargador nega habeas corpus e cabo Gerson Correa continua preso

Por: REDAÇÃO

A Justiça de Mato Grosso manteve a prisão preventiva decretada contra o cabo da Polícia Militar, Gerson Luiz Ferreira Corrêa Júnior, suspeito de participação no esquema de interceptações telefônicas clandestinas que teria ocorrido no âmbito da Polícia Militar. O policial está preso desde maio do ano passado, quando veio a público o escândalo conhecido como grampolândia pantaneira.

 

Alan Cosme - HiperNotícias

gerson

 Cabo Gerson Correa é o único preso do processo dos grampos

A decisão de manter a prisão de Corrêa foi proferida pelo desembargador Luiz Ferreira da Silva. Ele não aceitou os argumentos dos advogados do cabo, de que ele poderia obter os mesmos benefícios concedidos aos demais acusados de participação no suposto esquema.

 

Para o magistrado, a situação processual dos demais acusados em relação a Gerson é diferente. “Não só porque seria responsável pela ouvida das ligações interceptadas, como também porque as testemunhas ouvidas na audiência de instrução realizada no dia 5 próximo passado afirmaram ao juízo que temem sua soltura, restando justificada, dessa forma, a necessidade da sua custódia provisória para a garantia da ordem pública e para resguardar a instrução criminal”, destacou o desembargador.

 

Ao indeferir a liminar, o desembargador determinou o encaminhamento do pedido para o Ministério Público Estadual (MPE), que deverá se manifestar sobre o caso antes que ele seja apreciado pela Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. O cabo é o único dos acusados pelo suposto esquema que permanece preso.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




Últimas Notícias





Mais Comentadas