Sábado, 12 de Outubro de 2019, 23h:00

Tamanho do texto A - A+

No Pacaembu, Bolsonaro revela 'coração dividido' diante de Palmeiras x Botafogo

Por: CONTEÚDO ESTADÃO

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez questão de comparecer ao estádio do Pacaembu para acompanhar seus dois times de coração, Palmeiras e Botafogo. Foi a primeira vez dele no estádio municipal como presidente do Brasil. Ao arriscar um placar do jogo, antes da bola rolar, demonstrou sua preferência pelo lado alviverde, onde joga seu amigo Felipe Melo. Como aconteceu em outros jogos, torcedores se dividiam entre os aplausos e as vaias ao político. Bolsonaro deixou o estádio faltando cerca de dez minutos para o fim da partida.

"Coração fica dividido", brincou o presidente, pouco antes da bola rolar e de ele apostar que o Palmeiras venceria por 3 a 0. Cercado por seguranças, o político preferiu acompanhar o jogo no meio dos torcedores, na Numeradas, um dos setores do estádio. Como já aconteceu em outros jogos em que foi já como presidente, ouviu alguns aplausos e vaias e gritos de "mito" e "fascista", mas de uma forma bem mais discreta em comparação a outras partidas que ele já foi assistir.

No intervalo do primeiro para o segundo tempo, quando o Palmeiras já vencia por 1 a 0 (placar final da partida), ele foi bastante saudado por torcedores que estavam em volta. Aos gritos de "mito", deu a mão e tirou diversas fotos com torcedores que tentavam de todo o jeito ter alguma lembrança daquele momento. A agitação ficou mais concentrada nos arredores de onde ele estava. Quando estava próximo do início do segundo tempo, um torcedor xingou Bolsonaro e deu-se início a uma discussão entre torcedores. Na confusão, o palmeirense que ofendeu o político chegou a receber um tapa na cabeça e foi levado pelos policiais para um outro setor do estádio.

Em relação ao futebol, Bolsonaro também destacou sua amizade com o volante Felipe Melo, que não jogou neste sábado. Ele estava suspenso pelo terceiro cartão amarelo. "O meu contato aqui no Palmeiras é um tal de Felipe Melo, conhece? Falei com ele e ele disse que não iria jogar por causa do cartão amarelo", disse o presidente, que ao ser indagado se ele e o jogador teriam temperamentos parecidos, respondeu: "Estou mais calmo agora".

O presidente também comentou sobre as constantes trocas de técnicos no futebol brasileiro, em especial no Palmeiras, que demitiu Luiz Felipe Scolari e contratou Mano Menezes. "Os técnicos cansam. O Felipão é um grande técnico, mas parece que cansou. E já virou uma tradição no Brasil a constante troca de técnico", comentou. Ao ser indagado sobre a escalação do Palmeiras, saiu pela tangente. "Não dou palpite na escalação para o pessoal não dizer como tenho que escalar meus ministros."

(Com Agência Estado)
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei