Sexta-Feira, 16 de Agosto de 2019, 19h:35

Tamanho do texto A - A+

Com Ivan em lista de Tite, Ponte Preta é celeiro de goleiros que foram à seleção

Por: CONTEÚDO ESTADÃO

A Ponte Preta, que teve o goleiro Ivan convocado nesta sexta-feira por Tite para defender a seleção brasileira, é considerada uma escola de grandes jogadores da posição. Entre os principais nomes formados pelo clube figurou Wilson Quiteto, que surgiu no início da década de 1970 e depois brilhou pelo Santos. Valdir Peres, que acabou sendo campeão brasileiro pelo São Paulo, em 1977, e defendeu muitos outros clubes, entre os quais o Corinthians, iniciou a sua carreira profissional pelo time de Campinas.

O mesmo vale para Sérgio Guedes, que no início de sua trajetória atuou pela Ponte entre 1984 e 1989, passando depois por grandes clubes como Cruzeiro e Santos. O mais destacado goleiro da história da Ponte, porém, foi Carlos, que passou por várias categorias de base da seleção brasileira e defendeu inicialmente a seleção pré-olímpica em 1975.

Depois disso, ele já foi convocado para o time principal do Brasil pelo finado técnico Claudio Coutinho para ser o terceiro goleiro do País na Copa do Mundo da Argentina, em 1978, quando tinha 22 anos - mesma idade atual de Ivan. O objetivo era ganhar experiência. O titular, na época, era Leão, do Palmeiras, e o reserva era Valdir Peres, do São Paulo.

Em 1977, Carlos participou do vice-campeonato paulista da Ponte Preta, então batida pelo Corinthians na decisão em que o clube de São Paulo encerrou um jejum de 23 anos sem título. Pelo clube de Campinas, ele ainda foi vice-campeão estadual em 1979 e 1981. No Mundial da Espanha, em 1982, Carlos foi reserva de Valdir Peres e a partir de 1984, já defendendo o Corinthians, assumiu a titularidade da seleção, posto que ostentou na Copa de 1986, no México, onde o Brasil foi eliminado pela França nas quartas de final, nos pênaltis.

Moacir e Rafael, na década de 1970, e mais recentemente, Lauro e Alexandre Negri, foram outros goleiros de destaque formados pela Ponte Preta.

APÓS 17 ANOS - Ivan é o primeiro convocado do time de Campinas para a seleção brasileira principal desde 2002, quando o atacante Washington foi chamado para defender a equipe nacional em amistosos. Antes, em 2001, Leão convocou Mineiro e Washington - em 2003, Ricardo Gomes incluiu Alexandre Negri para defender o Brasil na Copa Ouro da Concacaf, mas aquela seleção chamada para o torneio era sub-23.

"Estamos muito felizes que depois de tanto tempo a Ponte Preta volte a servir a seleção brasileira", comentou o presidente do clube, José Armando Abdalla Jr, ao comentar a presença de Ivan na lista de Tite para os próximos amistosos do time nacional.

Nas décadas de 1970 e 1980, o clube chegou a ter vários jogadores convocados para a seleção principal, como os zagueiros Oscar e Polozi para a Copa de 1978. Depois o time teve Carlos, o lateral-direito Edson e os zagueiros Juninho e Nenê Santana chamados para defender o País.

(Com Agência Estado)
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei