Terça-Feira, 23 de Abril de 2019, 16h:56

Tamanho do texto A - A+

Atenção personalizada à saúde é o novo conceito de cuidado

Por: REDAÇÃO

Sempre na vanguarda do cuidado com a saúde, a Unimed Cuiabá está implementando um novo conceito de cuidado, focado em prevenção e qualidade de vida. O novo modelo assistencial  prevê o acompanhamento contínuo, orientações  de educação em saúde e cuidados preventivos, que aliado ao contato mais próximo do médico, que assume um papel de médico da família, e da equipe multidisciplinar, quando recomendado, englobam os princípios da Atenção Primária a Saúde (APS).

Reprodução

Atenção personalizada Unimed


Trata-se de um conceito amplo que exige uma mudança de cultura organizacional e  responde  à necessidade de concepção de um novo modelo para a saúde, tendo como um dos segmentos fortes a atenção personalizada e a ênfase na medicina preventiva, como explica o presidente da Cooperativa, Rubens Carlos de Oliveira Júnior.

A nova concepção se afirma como alternativa na reestruturação dos sistemas de saúde com base na atenção integral e personalizada, aliada às mais modernas práticas de gestão e tecnologias de informação, como a mensuração de dados epidemiológicos, para criar estratégias e ferramentas de promoção de saúde.

Segundo Dr. Rubens, para os próximos anos a meta é reestruturar totalmente o modelo assistencial existente e aproximar ainda mais o corpo médico dos clientes, com base no conceito de atenção integral e personalizada à saúde do paciente.

“Vamos avançar na experiência de gestão iniciada há três anos e aprimorar o relacionamento entre o médico e o paciente como princípio de um novo modelo de assistência em saúde, baseado na prevenção de doenças”, completou o presidente da Unimed Cuiabá.

O novo jeito de cuidar proposto pela Unimed Cuiabá é um movimento que quer promover uma guinada no conceito de qualidade de vida, que alia o que há de mais moderno na medicina em todo o mundo, com o que a cooperativa já tem de melhor: a atenção e o cuidado com a saúde.

Segundo a Organização Pan-americana de Saúde, as Doenças Crônicas Não Transmissíveis são a causa principal de mortalidade e de incapacidade prematura no Brasil. Este fenômeno, ocorre devido à mudança do padrão de mortalidade que afeta a população. 

A médica da família e comunidade, Sofia Adélia Bernardo da Silva ressalta que no passado as doenças infecciosas eram responsáveis por mais de 50% dos óbitos, enquanto que hoje, com as melhorias de condições sócio-econômico-culturais, a mortalidade é preponderantemente consequência das doenças crônicas não transmissíveis.

“A estratégia de focar em prevenção e qualidade de vida responde à este movimento global,  agregando ao cuidado o estudo personalizado de cada paciente, visando promover sua saúde global. A ação vislumbra o paciente em sua totalidade, criando métodos e formas diferenciadas do cuidado, evitando assim doenças e anomalias diversas. A partir de um plano terapêutico singular”, sintetiza a médica que compõe o grupo deste novo conceito.

Um dos aspectos primordiais desse novo jeito de cuidar, evidencia a Dra Sofia “é evitar que as doenças crônicas não transmissíveis se desenvolvam, dentre as quais destacam-se: hipertensão, diabetes, asma, insuficiência cardíaca, bronquite, enfisema pulmonar e obesidade. Afinal, melhor que ser tratado adequadamente quando está doente é não adoecer. Cuidar de você, este é o plano.”

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto










ESTÚDIO HIPER
INFORME PUBLICITÁRIO GCOM - Combate à Dengue, Zika e Chikungunya em MT

INFORME PUBLICITÁRIO - Combate as Infecções Sexualmente Transmissíveis

16º FESTIVAL DAS FLORES CUIABÁ 2019