Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019, 15h:27

Tamanho do texto A - A+

Quinta cidade mais populosa de Mato Grosso anuncia racionamento de água

Por: KHAYO RIBEIRO

O município de Tangará da Serra (185 km de Cuiabá), a 5ª cidade mais populosa de Mato Grosso, anunciou esta semana um racionamento de água para a população. A medida, que atinge uma população de mais de 100 mil habitantes, entrou em vigor nesta segunda-feira (16) após anúncio do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae).

TANGARA

 Vista aérea da cidade de Tagará da Serra

O racionamento fraciona os recursos hídricos distribuídos aos bairros da cidade em um regime de “dia sim, dia não”, no qual os moradores recebem água em suas torneiras das 07h às 07h, mas não receberão o recurso por 24h seguidas.

Além disso, a medida também reduz o volume da água tratada e distribuída de 340 litros por segundo, para 250 litros por segundo.

“Nosso grande problema á a falta de chuvas, e não há previsão para que elas aconteçam. Então, o racionamento é o que restou para enfrentarmos este período e evitar o desabastecimento”, apontou o diretor da Samae, Wesley Lopes Torres.

Classificando a medida como “inevitável”, o diretor argumentou que a situação hídrica do município só não está pior devido ao fato de a cidade contar com lagoas que mantêm a reserva de água na Estação de Tratamento de Água (ETA) Queima Pé.

“Estas lagoas nos dão, até agora, fôlego para enfrentar a falta de chuvas, mas elas têm um limite nas suas capacidades que está muito próximo”, aponta o diretor, que compara a atual situação com os anos de 2016 e 2002, quando a cidade passou por crises hídricas.

Creci/MT

Sanecap, Cuiabá

 Imagem ilustrativa

Canal de denúncia

O racionamento não foi a única medida implementada pela autarquia. A Samae também abriu um canal para que a população possa denunciar casos de desperdício.

“Tão importante quanto vir à chuva é a colaboração do cidadão tangaraense neste momento delicado. O cidadão pode criticar, é um direito seu, mas critique fazendo sua parte”, pontuou Wesley Torres.

A autarquia disponibilizou o número (65) 9.9988-0115 para que as denúncias sejam realizadas via WhatsApp.

Período de estiagem

O estado de Mato Grosso está há mais de 100 dias sem registrar chuva de volume suficiente para reparar os efeitos do período de estiagem.

Diante desta situação, o governador Mauro Mendes (DEM) assinou um decreto de emergência. O documento coloca o estado em uma situação de calamidade pública em relação às intempéries relacionadas à falta de chuva, queimadas e do tempo seco.

Com vigência de 60 dias, o decreto concede às autoridades o direito de adotarem “as medidas necessárias à prevenção e combate a incêndios florestais e à manutenção dos serviços públicos nas áreas atingidas pelas queimadas, podendo especialmente”.

Saiba mais sobre o tema a seguir:

Após aumento no registro de queimadas, governador decreta situação de emergência

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei