Quinta-Feira, 05 de Julho de 2012, 15h:19

Tamanho do texto A - A+

Projeto propõe isenção de taxa de concursos para doadoras de leite materno

A situação dos dois únicos bancos de leite de Mato Grosso é crítica; especialistas alegam que seria preciso o dobro do que está armazenado para suprir a necessidade

Por: THAISA PIMPÃO

Imagem da internet

O projeto de Lei 400/2012 propõe a isenção do pagamento da taxa de inscrição de concursos públicos e vestibulares das universidades públicas estaduais para mulheres que doarem leite. O autor é o deputado estadual José Domingos Fraga (PSD), que defende a isenção das taxas até um ano após a doação.

A votação do projeto está prevista para até o dia 11 deste mês. Se aprovada a lei, as candidatas que desejarem ter direito ao benefício deverão ter sido doadoras por um período mínimo de quatro meses e ter feito, no mínimo, uma doação a cada semana.

A situação dos dois únicos bancos de leite de Mato Grosso é crítica. Segundo a responsável pela coleta e armazenamento do Banco de Leite Humano do Hospital Geral Universitário (HGU) de Cuiabá, Janaína Amadio, é comum que várias mães desperdicem leite, tamanha produção durante a amamentação de seus filhos. “Se ao invés de perderem leite, essas mães doassem para o Banco, com certeza muitas vidas seriam recuperadas com maior facilidade”, explica.

Na UTI neonatal do HGU são disponibilizados 25 leitos para bebês prematuros e que precisam de cuidados especiais. Já no Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), apenas 10 leitos amparam os recém-nascidos. O número total não é suficiente para atender toda a demanda de crianças prematuras que nascem anualmente. De acordo com um relatório divulgado em maio deste ano pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano, cerca de 15 milhões de bebês nascem prematuros no mundo. O Brasil aparece na 10ª posição em números absolutos, com 279,3 mil partos de prematuros por ano.

Em Mato grosso, conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), de 2006 a 2011, nasceram no Estado 291.859 bebês vivos. Desse total, 43.200 nasceram prematuros.

Mas o déficit de leitos para atender os bebês prematuros não é o único problema, pois, de acordo com Juliana Amadio do HGU, mesmo com um número considerável de mães que doam leite excedente, a quantidade estocada não supre a necessidade. “Precisaríamos de, no mínimo, o dobro do que já temos. E para doar é muito fácil, a mãe não precisa nem sair de casa”, explicou. A responsável diz isso, pois a equipe do Hospital se desloca até a casa da mãe, deixa os recipientes de coleta e volta para buscar na semana seguinte.

DOAÇÃO DE LEITE

Segundo informações do Hospital Júlio Müller (HUJM), todas as mulheres sadias, que estejam amamentando e tem excedente de leite, podem doar. O leite humano é  natural e por isso está livre de possíveis contaminações e dá imunidade ao bebê contra diversas doenças.

No HUJM, as doações podem ser feitas diretamente no hospital, de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, ou por meio da coleta em casa. Nesta segunda opção as rotas de coleta são feitas todas as segundas, quartas e sextas-feiras, passando na casa das doadoras.

Para mais informações: HGU - 3363 7035 //  HUJM -  3615 7203

Credito: Imagem da internet
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto