Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 08h:06

Tamanho do texto A - A+

Participantes do Peixe Santo passam por capacitação

A expectativa é de que os números superem os de 2018, quando foram vendidos mais de 115 mil quilos da carne

Por: REDAÇÃO

Comerciantes inscritos no programa Peixe Santo participaram de uma palestra sobre boas práticas para manipulação de pescado na segunda-feira (11). A capacitação é promovida pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, e antecede o lançamento oficial do projeto, que inaugura sua 28º edição no dia 17 de março. Por meio da ação, a Prefeitura de Cuiabá viabiliza a comercialização de peixe fresco, a preços acessíveis, em 30 pontos diferentes da Capital.

Luiz Alves

Peixe Santo - Cuiabá

 

De acordo com o titular da Pasta, Gilberto Gomes neste ano há cerca de 80 pessoas cadastradas no programa e a expectativa é de que os números superem os de 2018, quando foram vendidos mais de 115 mil quilos da carne. “Temos trabalhado para fomentar o desenvolvimento econômico do setor, tanto por meio do estímulo ao cumprimento das exigências legais, quanto na disseminação de informações e capacitação dos envolvidos”, explica.

Esta foi a segunda etapa de qualificação oferecida aos participantes, que, obrigatoriamente devem passar por 8 horas de capacitação antes do início dos trabalhos. Além disso, para que possam se inscrever eles precisam apresentar carteira sanitária, com comprovação de todos os exames exigidos, RG, CPF, comprovante de endereço e certificado de participação em outras edições, no caso de veteranos.

Na ocasião a doutoranda em Ciência Animal da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Greika Ferreira Moura, palestrante do dia, lembrou os cuidados básicos com o produto, desde a limpeza do ambiente até a utilização do gelo ao longo de toda a cadeia produtiva. “São hábitos como acordar, tomar banho e ir escovar os dentes. Têm que ser feitos de maneira automática. Isso tem que ser reforçado constantemente para que também seja automático no dia a dia de quem trabalha com pescado.”

De olho nestes critérios a comerciante Laura Cardoso, que participa do projeto há oito anos, esteve na palestra ministrada ontem. Ela destaca que, para além da capacitação, a iniciativa é importante para o setor porque agrega valor ao produto, tornando-o mais competitivo. “O preço do pescado praticamente não apresenta variação ao longo do ano, então este período da Semana Santa é fundamental para nós. Também é importante nos mantermos atualizados.”

Peixe Santo 2019

A partir do dia 17 de abril o Peixe Santo retorna à Praça Alencastro. Como em outras edições, parte do pescado será doada às entidades filantrópicas cadastradas junto ao Centro de Referência em Atendimento Social (Cras) e Centro de Referência Especializada em Assistência Social (Creas).

É o que explica o coordenador Osvaldo dos Santos Lara. “Cada comerciante tem que doar pelo menos 10 kg de peixe para que possam ser feitas refeições distribuídas à pessoas carentes durante a Semana Santa. Só em  2018 houve mais 3200 beneficiados pela ação. O Peixe Santo é um presente para Cuiabá e para toda comunidade cuiabana, além disso, fortalece a religiosidade cristã e a cultura local”, reforça.

Há 22 anos no projeto o comerciante Armando Nazareno comenta os avanços observados ao longo do tempo. “Há alguns anos enfrentamos problemas com falta de incentivo, mas é um projeto essencial para o setor e por isso fomos melhorando, participando de cursos, palestras, justamente para atender melhor a comunidade. Ver o resultado disso é muito satisfatório”, afirma.

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei









ESTÚDIO HIPER
Carlinhos Maia doa carro novo a desconhecido

Em depoimento Neymar diz que cedo ou tarde a verdade aparece

Brasileiro de 84 anos dá um show em programa americano