Sexta-Feira, 28 de Junho de 2019, 16h:50

Tamanho do texto A - A+

Paciente denuncia falta de higiene na ala pediátrica do Pronto-Socorro de Cuiabá

Segundo denúncia feita por meio de vídeos, terceirizada não estaria fazendo a limpeza por falta de pagamento

Por: FERNANDA ESCOUTO

Imagens e vídeos enviados ao HNT/ Hipernotícias, nesta sexta-feira (28), mostram a precariedade nas instalações do Pronto-Socorro de Cuiabá (PS). Banheiros sujos, lixos jogados no chão, piso com lama e lixeiras entulhadas na ala pediátrica.

A empresa terceirizada responsável pela limpeza do PS é a Luppa Administrativa de Serviços.

Conforme as fotos é possível ver as lixeiras com resíduos plásticos e até mesmo embalagem de marmita. Também há banheiros sujos e sem papel higiênico. Segundo pacientes, essa sujeira está localizada na ala pediátrica da unidade hospitalar.

“O lixo está acumulando, a situação está ficando cada vez pior, já está juntando mosca, pois o lixo está aqui há três dias. Aquele vídeo foi gravado na ala de pediatria, estamos falando de crianças. Isso é muita falta de respeito”, afirmou Styven Barros, pai de uma criança que está internada no local.

“As enfermeiras e até mesmo médicos estão alegando que o pessoal [empresa terceirizada responsável pela limpeza] entrou de greve porque está há três meses sem receber. Fomos reclamar com a direção do PS, que teve a audácia de dizer que é a gente que está gerando lixo, então somos nós que temos que nos responsabilizar pela limpeza [...] Ai dei a opção de retirar o lixo do quarto, onde as crianças estão internadas, e deixar no corredor, mas eles não gostaram”, ressaltou.

Ainda de acordo com Styven, não é a primeira vez que a empresa interrompe as atividades. Além desta sexta-feira, houve paralisação também no dia 17 de maio.

Atraso de salários

Ao ser procurada pelo HNT/ Hipernotícias, a empresa, representada por um dos advogados, Ademar Santana Franco, negou as informações de que funcionários estariam com salários atrasados.

Santana afirma que desconhece o atraso nos pagamentos dos colaboradores, entretanto ressalta que a Prefeitura de Cuiabá está em falta com a empresa, em relação aos vencimentos. “A Luppa não recebe integralmente da prefeitura desde novembro de 2018. Já assinamos um Termo de Ajuste de Contas, em maio deste ano, para receber parcialmente, e mesmo assim seguimos sem receber”, diz.

“Mesmo sem a empresa receber, ela não deu ordem para nenhum funcionário parar os serviços. A empresa não parou e não vai parar. Caso algum colaborador tenha parado, vamos verificar para que ele possa voltar às atividades”, completou.

Ainda sobre o atraso da prefeitura, o advogado questiona porque outros fornecedores recebem e a Luppa não.

“Eles têm dinheiro para doar à Santa Casa, para pagar salário de quem não contribui com o Pronto-Socorro, mas não tem dinheiro para pagar a Luppa. Desafio o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, o secretário de Saúde, que é procurador do município, Luiz Antônio Possas de Carvalho, a sentar com a gente, em frente à imprensa para esclarecermos para a população sobre o que está acontecendo”, pontua.

Outro lado

Ao HNT/ Hipernotícias a prefeitura de Cuiabá afirmou que o pagamento para a Luppa deve ser regularizado até a próxima terça-feira (02/07).

Credito:
Credito:
Credito:
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto