Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 18h:00

Tamanho do texto A - A+

Manifestantes se reúnem na Praça Alencastro contra cortes na Educação

Por: KHAYO RIBEIRO

Um grupo de cerca de cinco mil pessoas se concentrou na tarde desta quarta-feira (15) na Praça Alencastro, região central de Cuiabá, em protesto contra os diversos cortes na Educação anunciados pelo Governo Federal.

Reprodução

Manifestação no centro de Cuiabá contra cortes das Universidades Federais

 

Somaram-se ao movimento professores das redes municipais, estaduais e federais de ensino. Além disso, estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), o Diretório Central do Estudantes (DCE), o Sindicato dos Trabalhadores e Técnicos Administrativos da UFMT (Sintuf-UFMT) e diversos coletivos também participaram da manifestação.

A maior parte do grupo de manifestantes se reuniu na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e se deslocou até a região central da Capital, no início da tarde desta quarta-feira.

O mestrando pela UFMT Thiago Oliveira Rodrigues, 31 anos, afirmou à reportagem que “A manifestação tem como perspectiva ir contra o pacote de cortes do Governo Bolsonaro, que atingem os direitos universais da população. É uma tentativa de barrar todas essas reformas na Educação”.

Ao HNT/HiperNotícias, a assessoria de comunicação da Polícia Militar confirmou o montante de cinco mil estudantes e disse que nenhuma ocorrência havia sido registrada. Ao todo, 25 policiais da PM acompanharam o movimento. 

Com grande expressividade em participação popular, levantes como o da Praça Alencastro foram programadas para acontecer nas 27 capitais do Pais e em mais de 200 cidades em vários estados. 

Na UFMT, os resultados do corte já são visíveis, uma vez que já se prevê diminuição de viagens para eventos de pesquisa, suspensão de editais, redução de recursos voltados à capacitação de professores dentre outras medidas. O corte no orçamento da UFMT, segunda nota divulgada, é de R$ 34 milhões.

Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Credito: Reprodução
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 2