Sábado, 12 de Outubro de 2019, 10h:41

Tamanho do texto A - A+

Justiça bloqueia contas da UFMT e universidade suspende bolsas estudantis

Por: KHAYO RIBEIRO

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) teve suas contas bloqueadas pela Justiça nesta sexta-feira (11), a fim de que pague os salários atrasados dos seguranças que trabalham na unidade de ensino. Além disso, a universidade também anunciou a suspensão das bolsas de monitoria, tutoria e extensão estudantil.

GUARITA UFMT

 Registro do campus Cuiabá

O valor da dívida da UFMT para pagamento dos funcionários da área de segurança é de R$ 726.847,63. Informações repassadas pela MJB Vigilância e Segurança, empresa que presta serviços à comunidade acadêmica, os trabalhadores estão com salários atrasados desde janeiro deste ano.

Em agosto, o sindicato dos seguranças organizou um protesto na universidade, no qual as duas guaritas que dão acesso aos blocos de ensino foram fechadas. À época, conforme noticiado pelo HNT/HiperNotícias, só tinham garantidos os vales transporte para que não faltassem ao serviço. Direitos como salário, vale alimentação e repasses do FGTS e INSS estavam atrasados.

No mesmo dia em que as contas da universidade foram bloqueadas, um despacho emitido pela UFMT informou que o pagamento de diversas bolsas foi suspenso para o próximo trimestre.

Em resposta, a União Estadual dos Estudantes (UEE) emitiu um comunicado pedindo pela revogação do documento. “A União Estadual dos Estudantes entende que é de suma importância a continuidade das bolsas, para permanência dos estudantes na UFMT, cumprindo assim o tripé ‘Educação, Pesquisa e Extensão’”, apontou.

O cenário de suspensão de bolsas se deve ao contingenciamento de recursos pelo qual passa o ensino superior federal no Brasil. Desde abril, quando o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou cortes orçamentários para as unidades de ensino.

A reportagem tentou contato com a UFMT a fim de esclarecer sobre o bloqueio nas contas da instituição e a suspensão de bolsas estudantes. Contudo, até a publicação da matéria, não houve resposta por parte da unidade de ensino.

Leia mais:

Sem salários, vigilantes da UFMT fecham guaritas

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas