Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 17h:40

Tamanho do texto A - A+

Indígenas ocupam Dsei em Cuiabá e cobram diálogo com o coordenador da unidade

Por: KHAYO RIBEIRO

Representantes indígenas ocupam o prédio do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), em Cuiabá, e cobram um diálogo com o coordenador da unidade Argon Norberto Hachmann. A polícia apontou que os funcionários do Dsei estão sendo mantidos presos para que o coordenador ouça as demandas dos indígenas.

Reprodução

Indígenas no Dsei

 

Na sexta-feira (10), o HNT/HiperNotícias noticiou que diversos povos indígenas já haviam protocolado junto ao Ministério Público Federal (MPF) uma série de denúncias apontando irregularidades nos serviços de saúde indígenas no Estado. Uma das demandas dos representantes diz respeito à exoneração do atual coordenador do Dsei.

Oficiais do 1° Comando Regional foram acionados e estiveram na unidade de saúde. No local, os agentes verificaram que o portão do Dsei estava trancado e sendo guardado pelos indígenas. Diante da situação, os policiais iniciaram um diálogo com os ocupantes, que cobraram uma conversa com Argon Norberto.

A Polícia Federal foi acionada e segue presente no local com uma equipe ostensiva, contando com a presença de dois delegados. Com o apoio da PM, os agentes de segurança aguardam a chegada do coordenador da unidade, que estaria no município de Santo Antônio do Leverger (32 Km de Cuiabá).

Denúncias protocoladas no MPF

À reportagem, Márcio Carlos, programador de educação indígena da Funai-MT, esclareceu que as reclamações contra a Dsei se acumulam desde o último ano.

Apesar de o Estado de Mato Grosso contar com seis coordenações da Funai, nenhuma das unidades responde às demandas como sede da instituição, fazendo com que as denúncias sejam repassadas a Brasília.

Dentre os apontamentos dos povos indígenas estão a falta de profissionais da saúde para realizarem o atendimento nas aldeias. Além disso, a falta de vacinas, produtos de limpeza e insumos básicos também são demandas constantes, conforme o portal G1.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei