Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018, 16h:31

Tamanho do texto A - A+

Furtos tiram 23,4 milhões de litros de água de Cuiabá por ano

Por: REDAÇÃO

O município de Cuiabá produz, atualmente, 7,8 milhões de litros de água por mês. O volume, que totaliza a expressiva marca dos 93,6 milhões de litros por ano, seria suficiente para abastecer o município em regime permanente – sem a necessidade de intermitência – caso não houvesse, no meio do caminho, um inimigo da cidadania e da natureza: o chamado gato, apelido dado ao crime de furto de água. Enquadrado no parágrafo 3º do artigo 155 do Código Penal Brasileiro, esse delito está na mira da Águas Cuiabá, que realiza neste mês de setembro, juntamente com o Ministério Público Estadual (MPE), Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Arsec) e Prefeitura de Cuiabá uma campanha de combate ao furto de água.

 

Reprodução

Gato é crime

 

Além de ações de conscientização, realizadas por meio de comunicação com a comunidade, as equipes da concessionária estarão percorrendo, até o dia 30 de setembro, bairros da Capital com o objetivo de flagrar e conter o furto de água. A mobilização conta com 8 equipes, munidas de equipamentos conhecidos como caça-gatos: geofones, georradares e microcâmeras de vídeo capazes de constatar pontos de rompimentos na rede de abastecimento, mesmo que ocultos. 

 

“Existe um preocupante quadro de ‘gatos’ em Cuiabá. Essa ação criminosa impacta a entrega de qualidade de água potável às residências cuiabanas. Há pouco mais de um ano assumimos a concessão dos serviços de saneamento na Capital, e observamos as consequências desse crime nas instalações, no tratamento de água e na distribuição. Nosso objetivo não é só conscientizar, mas regularizar os locais que possuem uma ligação clandestina. Neste momento, contar com o apoio do Ministério Público Estadual (MPE), Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Arsec) e Prefeitura de Cuiabá reforça a importância da ação”, afirma o diretor-geral da Águas Cuiabá, Luiz Fabbriani.

 

A atividade ilícita causa significativos impactos à rede de distribuição e, dentre as consequências, pode-se considerar o risco de contaminação como o fator mais preocupante. Portanto, a ação criminosa promove a entrada de dejetos, bactérias e substâncias impróprias que, além de comprometer a qualidade da água, causa risco à saúde da população.

 

O ‘gato’ também gera impactos estruturais como as quebras e vazamentos na rede de abastecimento. Isso porque ao instalar a ligação clandestina, usa-se materiais sem compatibilidade com a estrutura operada pela concessionária. A ação criminosa provoca a necessidade de interrupção do abastecimento para realização dos reparos de vazamento e infiltrações. Em casos como esse faz se necessário a interrupção do abastecimento à comunidade, o que ocasiona a despressurização e intermitência no sistema.

 

No cenário do saneamento, o furto da água, além dos prejuízos já citados, provoca danos ao Meio Ambiente por meio do desperdício. A concessionária projeta que 25% da produção anual de água se perde com os gatos. Em números, isso significa que 23,4 milhões de litros de água são desperdiçados ao ano. “No panorama, estima-se que uma unidade consumidora utilize 15m³ ao mês na Capital. Já o local que possui abastecimento via ‘gato’ consome, em média, cinco vezes mais. O infrator usa esse recurso natural sem consciência, é torneira pingando o dia todo, água para lavar calçada e até resfriar telhado da casa. Enfim, são inúmeras as situações nas quais este recurso natural é usado sem responsabilidade ambiental”, observa o diretor.

 

Sobre a Águas Cuiabá 

 

A Águas Cuiabá assumiu o serviço de água e esgoto da Capital em 2017, com a responsabilidade de atender a uma população de 580 mil pessoas. Desde então, trabalhou e investiu para o aumento do tratamento da água entregue ao cliente. Em conjunto com os Poderes elaborou projetos para atender cada vez mais cidadãos com os nossos serviços. Em razão das características de nossas atividades, também mantemos profunda inserção na vida das comunidades, onde desenvolvemos ações e programas que ajudam a elevar a conscientização socioambiental, alcançando milhares de pessoas.

 

Sobre a Iguá

 

 A Iguá é uma nova companhia de saneamento, controlada pela IG4 Capital, que atua no gerenciamento e na operação de sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário, por intermédio de concessões e de parcerias público-privadas. Atualmente, está presente em cinco estados brasileiros: Alagoas, Mato Grosso, Santa Catarina, São Paulo e Paraná, por meio de 18 operações, que, somadas, beneficiam cerca de 6,6 milhões de pessoas. O alcance da prestação de serviços coloca a companhia entre os principais operadores privados do setor de saneamento no país. O nome Iguá é uma referência direta ao universo de atuação da companhia: em tupi-guarani, “ig” que dizer água.

 

Credito: Assessoria
Credito: Assessoria
Credito: Assessoria
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto