Sábado, 23 de Março de 2019, 17h:11

Tamanho do texto A - A+

Direção nacional de serviços hospitalares entra com liminar no TRF e funcionários do Hospital Júlio Müller suspendem greve

Por: KHAYO RIBEIRO

Os funcionários do Hospital Júlio Müller suspenderam o estado de greve, instituído na manhã de sexta-feira (22), ao receberem uma liminar do Tribunal Regional Federal determinando retorno imediato das atividades. O retorno das atividades foi divulgado pelo comando de greve por meio de um comunicado emitido no início da tarde desse sábado (23).

Marcos Lopes/HiperNotícias

Hospital Julio Muller/reforma/fachada/FETHAB/obras

 

O grupo reivindica a manutenção da jornada flexibilizada de seus serviços, na qual a carga horária é distribuída em turnos de 36 horas de descanso a cada 12 horas trabalhadas. A greve, conforme o comando, vem em resposta a portaria 115 de 13 de março de 2019 da Superintendência da EBSERH, que visa regular os turnos de serviço em jornadas diárias de oito horas.

No comunicado, o comando de greve faz o chamamento para uma nova assembleia para deliberar os próximos passos dos funcionários. O evento será realizado na próxima segunda-feira (25), às 14h, no auditório do Júlio Müller.

Confira a seguir o comunicado na íntegra.

Na manhã deste sábado dia 23 fomos surpreendidos por um oficial de justiça apresentando uma liminar do TRF determinando o retorno imediato de 100% dos trabalhadores grevistas às suas funções e estabelecendo multa de R$ 50 mil/dia em caso de descumprimento. A liminar não julga o mérito da greve, apenas determina o retorno e foi solicitada pela direção nacional da EBSERH.

O setor jurídico do movimento paredista já está questionando a liminar com o objetivo de derrubá-la. No entanto, considerando os riscos da decisão, O COMANDO DE GREVE DO HUJM DECIDE CONVOCAR ASSEMBLEIA GERAL PARA SEGUNDA-FEIRA (25) ÀS 14H NO AUDITÓRIO DO HOSPITAL E SUSPENDER A GREVE ATÉ A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA, com retorno  imediato ao trabalho. A Assembleia de segunda-feira deve tomar a decisão dos próximos passos.

Ressaltamos que nosso movimento grevista atende todos os trâmites legais determinados pela legislação e que buscamos inúmeras formas de negociação com a reitoria da UFMT e com a superintendência da EBSERH, todas as tentativas sem êxito, nos restando apenas o instrumento de deflagração de greve como única ferramenta em defesa da jornada flexibilizada de 30h e atendimento ininterrupto e contínuo do HUJM a toda sociedade.

A suspensão da greve até a assembleia geral de segunda-feira é um passo obrigatório e tático rumo a nossa estratégia principal que é a retirada integral da portaria 115 de 13 de março de 2019 da Superintendência da EBSERH.

Informamos também que, paralelamente, nosso setor jurídico já entrou com questionamento de legalidade da forma de construção da escala de 40h apresentada como prévias pela administração do hospital. Também está sendo feito denúncias ao MPF sobre as irregularidades administrativas na concessão da folga da hora ficta e APH.

Seguimos mais do que nunca firmes na luta! Todos à assembleia geral de segunda-feira às 14h. Prosseguimos também o movimento para provar administrativamente e juridicamente a viabilidade da jornada flexibilizada de 30h sem a necessidade de APH e sem ininterrupção dos serviços, sempre tendo como norte principal a vida.

COMANDO DE GREVE DO HUJM

Cuiabá, 13h00min de 23 de março de 2019

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei







Mais Comentadas



ESTÚDIO HIPER
Prefeitura de VG - Aniversário de Várzea Grande 152 anos

Bolsonaro mostra ao SBT cicatrizes de cirurgia após levar facada

Programa Palavra Literária | 01 | Caio Ribeiro