Quinta-Feira, 30 de Março de 2017, 10h:40

Tamanho do texto A - A+

Audiência Pública sugere capacitação de profissionais para prevenção de suicídios

Por: REDAÇÃO

Sinalização de informação e conscientização obrigatórias em locais de risco e de maior incidência de casos, tais como pontes e edifícios acima de seis andares, com o número do CVV e de unidades de saúde que oferecem apoio. Ampliar a rede de capacitação de profissionais da área de saúde mental e de ações interdisciplinares voltadas para a depressão e o suicídio, promover políticas públicas de divulgação de informação sobre o suicídio, sistema multidisciplinar de acolhimento e cuidado da saúde mental daquelas pessoas que tentaram contra própria vida, bem como de seus familiares. Essas foram as principais sugestões citadas durante audiência pública promovida pelo vereador Abílio Junior (PSC), nesta terça-feira (29-03), na Câmara de Vereadores, em Cuiabá.

 

Assessoria

Audiência Pública

 

De acordo com Abilio, essas informações e demandas repassadas durante o debate vão possibilitar a criação de mecanismos para aplicar, criar e manter de forma contínua políticas públicas voltadas para a questão da saúde mental, por meio de criação de leis e fiscalização dos serviços prestados pelo Executivo Municipal.

 

Para isso, citou Abilio, algumas ações já poderão ser feitas, como a propositura de uma lei municipal de criação de um dia especial de prevenção ao suicídio e auxílio na maior divulgação dos Movimentos Sociais ‘Janeiro Branco’ e ‘Setembro Amarelo’, meses em que são trabalhados o tema junto à sociedade, profissionais da área da saúde e demais setores afins, criando assim, grupos de apoio aos sobreviventes de suicídio com informações e encaminhamento à rede multidisplinar, palestras nas escolas sobre os sentimentos humanos e como lidar com eles, sobre o valor da vida e como lidar com a morte.

 

Durante a audiência foram feitos diversos apontamentos relacionados aos motivos que levam o indivíduo a praticar o suicídio, bem como as formas de preveni-lo. Conforme o representante do Centro de Valorização da Vida (CVV), Carlos Eduardo Latterza de Oliveira, a solidão, a falta de conhecimento sobre determinado assunto que possa afligir o indivíduo - questões amorosa, social, econômica, etc - são fatores que podem levar a pessoa a praticar (ou tentar) o suicídio. Por isso, enfatizou a presidente do Conselho Regional de Psicologia (CRP), Morgana Moura, “a importância de debater e promover ações e ampla divulgação de informações voltadas sobre o tema, como forma de prevenir esse ato”.

 

Segundo o Mapa da Violência de 2014, houve uma alta de 15,3% nos casos entre jovens e adolescentes. Dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), entre 2000 e 2012, as pessoas que mais cometeram o suicídio foram pessoas baixo índice de escolaridade, indígenas e homens acima de 59 anos.

 

Participaram da audiência representantes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), CVV, Hospital Adauto Botelho, Secretaria de Ordem Pública de Cuiabá, CRP, Conselho do Direito da Pessoa Idosa, Conselho de Igualmente Social, Colegiado da Rede de Proteção da Pessoa em Situação de Violência, Movimento Social ‘Janeiro Branco’ e ‘Setembro Amarelo’ e das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




Últimas Notícias