Sexta-Feira, 21 de Junho de 2019, 12h:00

Tamanho do texto A - A+

Vera Pereira do Nascimento

Por: NEILA BARRETO

Divulgação

Neila Barreto

“Num mundo de tanta injustiça e violência e que transforma celeremente neste fim de milênio, a educação da criança, especialmente da zona rural, é muito importante, porquanto vai formar o cidadão de amanhã e complementar a educação que recebeu no lar paterno. O Brasil do futuro, também, necessita de uma mocidade instruída e do valoroso trabalho do homem do campo, patriota, simples, autêntico e verdadeiro produtor de alimentos”. A professora Vera Pereira do Nascimento faz parte desse Brasil!

Nasceu em 14 de julho de 1915, em Cuiabá e se transformou em uma professora portadora de virtudes e qualidades da mulher da nossa terra. Em março de 1936 já era uma normalista formada pela Escola Normal Pedro Celestino, que funcionou no antigo Colégio Estadual de Mato Grosso, renomado estabelecimento de ensino secundário, atualmente Liceu Cuiabano “ professora Maria de Arruda Muller”, localizado na região central de Cuiabá.

Muito jovem, com apenas 21 anos de idade, Vera Pereira do Nascimento foi nomeada professora pelo então governador Mário Correa da Costa, que governou o estado de Mato Grosso, de 22 de janeiro de 1926 a 21 de janeiro de 1930 e, de 7 de setembro de 1935 a 8 de março de 1937. Uma professora que gostava de ensinar crianças na zona rural mato-grossense. 

Em Nossa Senhora do Livramento-MT, a professora Vera, como era conhecida, lecionou ao lado de excelentes professoras, tais como, Dila de Campos Maciel, Lucila Toledo Monteiro da Silva, Maria Tomich Monteiro da Silva, Maria Arlinda Monteiro da Costa e Maria Metelo de Campos Caldas. Essas professoras plantaram árvores frondosas e frutíferas, pois semearam, com paciência e amor, sementes que foram regadas pelo sacrifício e pelo suor do ofício magistério, com nobres e infatigáveis ações.

Para o professor Gervásio Leite, a Escola Normal Pedro Celestino formou gerações sucessivas de excelentes professoras, mesmo porque, contava com um corpo docente de escol onde pontificavam, como grandes mestres Philogônio Correia, Francisco Alexandre Ferreira Mendes, Agostinho Simplício de Figueiredo, Jerci Jacob, Antônio Maciel Epaminondas, Filhinha Machado, Fernando de Campos, Nilo Póvoas, entre outros.

Discípula e afilhada de batismo do festejado Professor Nilo Póvoas, a professora Vera Pereira do Nascimento dispensou qualquer cargo de professora em cidades, inclusive, à época, na Escola Modelo Barão de Melgaço, em Cuiabá, optando pela zona rural, formando lavradores, agricultores e fazendeiros da região centro oeste mato-grossense, bem como, o cargo de diretora do Grupo Escolar José de Barros Maciel, na cidade de Nossa Senhora do Livramento, conforme afirmou Gervásio Leite.

À época, o ensino primário, nas escolas rurais mistas só ministravam o ensino nas duas primeiras séries. No entanto, a professora Vera Pereira do Nascimento ousou e, espontaneamente conduziu os alunos até o curso do “Admissão”, numa demonstração de grandeza e seriedade de quem conduzia a educação com alma e compromisso de formar futuros cidadãos.

Com a mesma dedicação e seriedade constituiu família casando-se com Gonçalo José do Nascimento e, dessa união que durou toda a sua existência, nasceram os filhos: Benedito Pereira do Nascimento, advogado, juiz, professor fundador da UFMT, membro da Academia Mato-grossense de Letras e, do Instituto Histórico e Geográfico de MT, desembargador, casado com Odete Leão do Nascimento, pais de Renan Carlos Leão Pereira do Nascimento (juiz), Jorama Leão Pereira do Nascimento (médica), Jordan Leão Pereira do Nascimento (advogado e assessor de desembargador); Vera Maria Cabelleira casada com Amarito Cabelleira; Walter Pereira do Nascimento casado com Elizabeth Andrade do Nascimento, advogado; Ana Maria Pereira do Nascimento; Airtes do Nascimento Teixeira casada com Nelson Teixeira. Faleceram solteiros, os filhos Carlina Pereira do Nascimento, Lucia Pereira do Nascimento e Gonçalo José do Nascimento Filho. 

Foram inúmeras as vezes que a professora Vera, mãe de família numerosa, tirava dos seus parcos salários quantias apreciáveis para a compra de cadernos, de lápis, do material escolar. A professora Vera dispensou aos seus alunos a mesma atenção que dispensara aos seus filhos, inclusive, na arte de ensinar e de educar.

Em Cuiabá, recebeu a atenção especial do deputado estadual Antônio Corrêa da Costa, representante de Cuiabá, na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, à época, quando apresentou o projeto de lei que criou, nesta capital, o Núcleo Habitacional “Grande Terceiro”, e, nele a Escola estadual do l° Grau “Professora Vera Pereira do Nascimento”, escola esta na qual tive o prazer de lecionar após ter prestado concurso público para o magistério.  

Dedicou a sua vida por mais de 30 anos, ao magistério da zona rural de Nossa Senhora do Livramento-MT, cujo nome consta de uma escola pública municipal, na comunidade Carandá Moita Grande, inaugurada em 23 de novembro de 1996, cujas etapas de ensino seguem a Educação Infantil, Educação de Jovens e Adultos – Supletivo e Ensino Fundamental. 

Como mestra e como mãe de família cumpriu o seu dever até que a morte a levou em 1975, para aquele “Undiscovery Country”, de qual fala William Shakespeare, conforme deixou registrado em “Tributo a uma professora”, pelo professor Gervásio Leite, o qual foi homenageado, pelos 103 anos de nascimento, em sessão solene, da Câmara Municipal de Cuiabá, no último 19 deste mês.

(*) NEILA BARRETO SOUZA BARRETO é jornalista, escritora, historiadora e Mestre em História e escreve às sextas-feiras para HiperNotíciasE-mail: neila.barreto@hotmail.com   

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto