Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 07h:55

Tamanho do texto A - A+

“Um novo dia, de um novo tempo!”

Por: GABRIEL GUILHERME

Arquivo Pessoal

Gabriel Guilherme

Mesmo que já tivesse acompanhado pelos veículos de comunicação, um pouco sobre a renovação política ocorrida nas eleições de 2018, retornei de Brasília, na última semana, com a real comprovação desse ocorrido.

É fato consumado que para se renovar é preciso mudar, quebrar paradigmas, e principalmente lutar para romper com todos os vícios do passado.

Afinal, inexiste renovação, se não for de tal forma. No meio político principalmente.

A renovação precisa ser feita de forma contínua, e englobar a participação dos mais diversos segmentos da sociedade civil organizada, em especial os nossos jovens.

E foi isso o que mais me chamou atenção na última semana.

Ao visitar a Capital Federal do país pela primeira vez, em especial o “coração” político do país, o Congresso Nacional, local onde se decide diariamente o futuro de milhões de brasileiros, um fato me chamou bastante atenção.

Em meio à tamanha turbulência e descrédito da nossa classe política, é motivador observar e esbarrar pelos corredores da Câmara Federal, com uma dezena de novos jovens parlamentares, eleitos por meio do voto popular, nas últimas eleições.

Jovens sedentos por transformações sociais, e que carregam consigo, os mais diversos e diferentes sentimentos e ideais de renovação.

Jovens, que cansaram apenas, de ocupar o posto de meros coadjuvantes, e que por tal motivo, decidiram colocar a “cara a tapa”, e se tornarem protagonistas dos caminhos que trilham nossas políticas públicas.

Jovens, que independentemente de suas bandeiras e da temática abordada, estão ali, com toda a energia, e prontos para debater defender os interesses do povo brasileiro.

O Estado de São Paulo nos deu um belo exemplo disso.

Conseguiu mesclar o ativismo liberal do jovem Kim Kataguari (DEM), com os princípios ufanistas educacionais da jovem Tábata Amaral (PDT), somados ainda ao preparo do jovem e futuro constitucionalista, Enrico Misani (PV).

Ainda seguindo essa vertente, o Estado do Paraná também mergulhou nessa corrente, contando com a jovem, Luísa Canziani (PTB), que com o seu desprendimento, já vem fazendo a diferença na Câmara federal.

O nosso Mato Grosso, não poderia ficar para trás.

E, atualmente conta com o talento nato do jovem Emanuelzinho (PTB), que com sua reverência e simplicidade, pouco a pouco vem conquistando as tribunas do parlamento federal, servindo como exemplo, para àqueles que insistem no ignorante discurso de dizer, que a pouca idade não significa competência.

O Estado de Pernambuco, como alguns outros seguem no mesmo caminho. Terra de grandes líderes, nessa legislatura conta com o altruísmo do promissor jovem João Campos (PSB).

É evidente e sabe-se que ainda temos muito que evoluir, e que o número de jovens engajados politicamente ainda é pequeno.

No entanto, garanto a vocês, que melhor do que essa quantidade em números é a qualidade desses poucos jovens em conteúdos.

Realmente foi bonito de se ver, que mesmo passando por um momento bastante turbulento e instável, é possível ver no fundo do túnel, o início de “um novo dia de um novo tempo.”

Espera-se, apenas, que esse número de jovens possa crescer cada vez mais, e que estes que já chegaram lá, possam continuar a servir de exemplo, para àqueles, que possuem o dom, mas que ainda não tiveram a coragem necessária para fazer às devidas renúncias, e seguir o árduo sacerdócio da vida pública.

 

*GABRIEL GUILHERME é Suplente de vereador por Cuiabá e estudante de Direito da Universidade de Cuiabá.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




Últimas Notícias