Quinta-Feira, 12 de Outubro de 2017, 12h:12

Tamanho do texto A - A+

Bibi Perigosa real: "Menina da favela não tem maturidade para saber que vai dar ruim se namorar bandido"

Por: G1

A escolha que mudou a vida da ex-estudante de serviço social na UFRJ (Univesidade Federal do Rio de Janeiro), apelidada de Perigosa por suas reações explosivas e pelo ciúme, foi continuar casada com o namorado de adolescência e pai de seus dois filhos, Saulo de Sá e Silva, quando descobriu que ele havia se tornado traficante.

 

bibi ba.jpg

 Bibi Perigosa com o então marido, Saulo Sá e Silva, ex-barão do pó da Rocinha (Foto: Arquivo pessoal)

Silva se transformou no "barão do pó" da Rocinha, e Fabiana aceitou o papel de baronesa, aproveitando os luxos que a nova atividade do marido lhe proporcionava.

 

O casamento de 14 anos, no qual tiveram dois filhos, durou mesmo após a prisão dele. Só terminou quando ela descobriu que o homem que se dizia apaixonado por ela a havia traído com várias mulheres.

 

Bonnie Clayde

 

 

Fabiana ficou conhecida nacionalmente nos últimos meses por causa de A Força do Querer, novela das 21h da TV Globo que vem batendo recordes de audiência e já é a mais vista desde 2012, segundo dados do Ibope.

 

A autora Gloria Perez recriou o roteiro real de amor bandido no folhetim, tendo Juliana Paes e Emilio Dantas no papel de Bibi e Saulo - na trama, chamado de Rubinho.

 

Em capítulos recentes, a personagem, até então uma mulher honesta, foi vista empunhando revólver e atirando. "Quer saber na lata? Eu atirava direto, por palhaçada, dava tiro para o alto", conta a Bibi real à BBC Brasil, enquanto aguarda um novo capítulo da novela, que tem seu final previsto para o dia 20 de outubro.Embora o público ainda não saiba se Bibi será ou não punida e se terminará o casamento com Rubinho, Fabiana conta o que gostaria de ver na tela.

 

"Eu mataria os dois. Porque essa é a história real, muita gente morre na guerra do tráfico e a Gloria estaria representando essas famílias, já que optou por mostrar como é a mão de obra do tráfico", afirma.

 

Na vida real, ela, que hoje sobrevive da renda de um imóvel na Rocinha e das vendas de seu livro, foi acusada de associação ao tráfico, mas como não havia provas, nada aconteceu. Já Saulo está preso há dez anos.

 

O mesmo não aconteceu com Danúbia Rangel, mulher do traficante Nem da Rocinha, presa nesta terça sob acusação de tráfico de drogas, associação com o tráfico e corrupção.

 

Analisando o caso de Danúbia, Fabiana palpita: "Ela se envolveu gastando dinheiro. Não tinha como ela fazer nada contra isso".

 

Não era amor, era cilada

 

A novela recebe algumas críticas de quem diz que a autora glamouriza a vida do crime, principalmente ao exibir Bibi ostentando dinheiro e outros luxos e se divertindo para valer em bailes funk, mesmo após ter cometido crimes - incendiou uma casa e ajudou na negociação de drogas.

 

A trama também mostra garotas que se aproximam de traficantes achando que eles poderiam mudar suas vidas e em troca de mimos como uma cirurgia de implante de silicone. "Dei mole e não botei, agora que tô querendo, não tem", gargalha Fabiana. "Descobri que o Saulo distribuiu silicone." 

 

Ela diz que as meninas da Rocinha e de outras comunidades continuam se envolvendo com bandidos porque se apaixonam por eles ainda na adolescência, quando não sabem distinguir o certo do errado.

 

Ela não concorda com quem critica a novela por supostamente glamourizar o crime. "O primeiro contato de qualquer menina ou pessoa do asfalto com o crime é de glamour, de festa. A parte ruim vai aparecer só depois."

 
Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 1