Segunda-Feira, 11 de Dezembro de 2017, 16h:03

Tamanho do texto A - A+

Wilson Santos tenta “enxugar” preço de VLT e descarta conclusão em 2018

Por: FELIPE LEONEL

O secretário de Cidades de Mato Grosso, Wilson Santos (PSDB), afirmou que pretende realizar alterações no projeto do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) para “enxugar” o preço. Para isso, de acordo com Santos, os terminais e as paradas serão “simplificadas”. Ainda segundo o gestor, a licitação será um certame internacional.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

trilho do VLT da avenida da feb

 

“A equipe da Secretaria das Cidades, a PGE e a CGE estão preparando o edital para a concorrência. A modalidade escolhida foi o regime diferenciado de contratações (RDC) e o foco é desidratar o projeto ao máximo. Fazer algo bem enxuto para diminuir custos”, afirmou Wilson, durante a Caravana da Transformação em Rondonópolis, na última sexta-feira (8).

 

Wilson Santos também conversou  com o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), sobre a construção de um túnel na Rua Desembargador Trigo de Loureiro e interligar os bairros Baú, Araés e o Consil. De acordo com o secretário, o Governo desistiu de concluir as obras da trincheira da Avenida do CPA, próximo ao Comper.

 

O Veículo Leve sobre Trilhos teve as obras iniciadas em julho de 2012 para ser concluído antes da Copa do Mundo, realizada em 2014. O modal teria 22 km, sendo dois eixos: do Aeroporto até a Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA) e da região do Coxipó ao Centro. O projeto inicial previa três terminais, 33 estações, que teriam 500 metros de distância uma da outra.

 

“Vamos simplificar cada vez mais os terminais, as paradas e as estações, de maneira que isso enxugue o preço. É provável que no final de janeiro nós tenhamos edital pronto, com valor definido e será uma concorrência internacional”, informou o secretário de Cidades, que descartou a conclusão do VLT em 2018.

 

“O Governo, com certeza, retoma essa obra no próximo ano. É claro que não tem tempo suficiente para concluir até o final de 2018, mas só o fato de retomar essa obra é, sem dúvida, um ponto positivo”, finalizou o secretário.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto