Quarta-Feira, 13 de Junho de 2018, 13h:56

Tamanho do texto A - A+

Wellington descarta recuo, mas diz que está aberto para compor

Por: MICHELY FIGUEIREDO

O pré-candidato ao governo do Estado, senador Wellington Fagundes (PR), descartou a possibilidade de desistir do projeto para uma eventual composição com o Democratas com vistas às eleições de outubro. Fagundes garantiu que o grupo que o apoia está disposto a dialogar, no entanto, a cabeça de chapa não é passível de mudança.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

Wellington fagundes

 

"O que estamos buscando é uma composição da chapa. Não se discute a mudança do candidato a governador. Minha candidatura não pertence mais a mim é uma discussão do grupo. A candidatura a governador não está em discussão".


Fagundes admitiu que recebeu a visita do presidente do DEM, deputado federal Fábio Garcia, e do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, no último final de semana, antes de ser anunciada a tentativa de viabilização do nome de Mendes ao governo, realizado nesta segunda-feira (11).


"Tive uma conversa com Mauro e Fabinho. Não estavam oficialmente em nome do partido. Foi uma conversa amistosa entre nós, não era oficial. Girou em torno da campanha, das possibilidades. O Mauro estava chegando [da China] e disse que poderia ser candidato, das dificuldades, do financiamento de campanha", revelou.


O senador lembrou que caso a composição não aconteça, é normal que uma disputa ao Palácio Paiaguás conte com três candidaturas. Se confirmando os três nomes, Fagundes considera grande a chance de ocorrência de segundo turno. "Não temos veto a nenhum partido, a nenhum seguinte. A proposta da campanha é de diálogo, propostas e ter uma boa convivência. Não construir inimizades".


A análise se dá até porque em um eventual segundo turno, rivais num primeiro momento deverão de unir.


Para atrair novos aliados neste momento, Fagundes descarta o oferecimento de cargos, como por exemplo, a vice-governadoria. "Não temos uma proposta desse ou daquele cargo. Se quiserem conversar, vamos sentar e ver quais são os interesses. Se tem disposição de conversar para coligar ou não", ressaltou, dizendo que nesta momento Mauro Mendes e o Democratas ainda discutem a possível candidatura. "Nós não temos que oferecer esse ou aquele cargo", ressaltou. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei