Quinta-Feira, 24 de Agosto de 2017, 12h:05

Tamanho do texto A - A+

Silval revela propinas de obras para conselheiros do TCE, senador, deputados

Por: PABLO RODRIGO

 

Em mais um trecho da delação, considerada "monstruosa" pelo ministro Luiz Fuz, do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), e que a TV Centro América vêm divulgando nos últimos dias, o chefe do Palácio Paiaguás teria relatado propina aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), deputados e empresários. Somente na Corte de Contas, segundo o delator, a propina ultrapassa o valor de R$ 53 milhões.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

silval barbosa

 

De acordo com a reportagem, o pagamento de propina era para garantir que as obras do MT Integrado e da Copa do Mundo não tivessem nenhum problema com a Corte de Contas.

 

O ex-deputado estadual e conselheiro afastado do TCE, Sérgio Ricardo, teria determinado a paralisação de algumas obras por conta dos atrasos nos repasses da propina aos conselheiros. O esquema teria sido acordado com o conselheiro José Carlos Novelli, que presidia o TCE na época.

 

Parte do pagamento teria sido feito através de suplementação no duodécimo do TCE entre 2012 e 2014.

 

Outra teria feito através de um contrato com a empresa Agendoc, que tinha firmado acordo de informatizar o protocolo do Estado com um contrato no valor de R$ 50 milhões. Outra parte foi com propina no esquema da compra de um terreno no bairro Renascer e que já consta no processo oriundos da cinco fases da Operação Sodoma.

 

 

O senador Wellington Fagundes (PR), que na época era deputado federal, teria sido beneficiado do esquema com propinas, através do ex-secretário da Sinfra, Cinésio Nunes, indicado de Fagundes no governo Silval.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

Wellington fagundes

 

Ainda de acordo com a reportagem, os deputados estaduais também foram beneficiados com o esquema, recebendo cada um, cerca de R$ 600 mil.

 

O deputado federal, Carlos Bezerra (PMDB), teria se beneficiado de R$ 1 milhão por ter intermediado o esquema envolvendo o terreno no bairro Renascer.

 

Em resposta a reportagem da TVCA, Bezerra disse que apenas intermediou a conversa, mas que não recebeu nenhum recurso para isso.

 

O conselheiro Novelli disse que as declarações de Silval não são verdadeiras e que a fiscalização do TCE sempre foi de acordo com a lei. Sérgio Ricardo alega que o ex-governador está mentindo.

 

 

O MT Integrado era um programa de obras isoladas que totalizam dois mil quilômetros de asfalto – o equivalente à distância entre Cuiabá e o Rio de Janeiro. A obra beneficiou 44 cidades mato-grossenses fazendo ligação por asfalto a outra cidade. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Carlos Nunes - 24/08/2017

E viva a Liberdade de Expressão! Parabéns à TV Centro América que tá divulgando tudo pros eleitores...seria bom repetir tudo isso, em 2018, às vésperas da eleição, num Vale a Pena ver de Novo, pra refrescar a cabeça do eleitor. Silval agora desempenha o papel de linhas tortas de DEUS...aquele que vai desmascarar muitos lobos em pele de cordeiro, alguns acima de qualquer suspeita. Todos os dias milhões de rezas, orações, do povo brasileiro, sobem ao Trono de DEUS...ele não ia mandar Anjos pra resolver o problema, pois Anjos são puros...resolveu mandar delatores premiados mesmo. Serão delatores premiados que farão a limpeza no Brasil, em Mato Grosso. Então, pra todas as pessoas que irão fazer delação premiada, a gente só pode pedir encarecidamente: CONTE TUDO! SALVE O BRASIL! SALVE MATO GROSSO! AINDA HÁ TEMPO!

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA