Sexta-Feira, 08 de Fevereiro de 2019, 09h:07

Tamanho do texto A - A+

Senadores de MT assinam CPI que irá investigar a tragédia de Brumadinho

Por: LEONARDO HEITOR/AGÊNCIA BRASIL

Os três senadores de Mato Grosso assinaram o pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito que pretende investigar, no Senado Federal, as causas do rompimento da barragem em Brumadinho (MG). O desastre ocorreu no último dia 25 de janeiro, na cidade mineira, e até esta sexta-feira (8), 157 mortos foram identificados e 182 estão desaparecidas.

 

Reprodução

brumadinho

 

Selma Arruda (PSL), Jayme Campos (DEM) e Wellington Fagundes (PR) assinaram o pedido de CPI, proposto pelos senadores Otto Alencar (PSD/BA) e Carlos Viana (PSD/MG). No total, o requerimento foi assinado por 44 parlamentares. Para ser instaurada uma Comissão Parlamentar de Inquérito, são necessárias 29 assinaturas.

 

“Como Senadora da República eu não posso me calar diante de um desastre com prejuízos ainda incalculáveis, principalmente no que tange à garantia da segurança das pessoas e do meio ambiente. Não podemos permitir que Mato Grosso, estado que me elegeu, e os demais estados da Federação, corram o risco de serem arrastados por esse mar de lama”, afirmou Selma Arruda, em suas redes sociais

 

Segundo o senador Carlos Viana, inicialmente a comissão não tem caráter punitivo, mas sim voltado para a proposição de uma legislação mais moderna. Viana, que pretende ser o relator da comissão, lembrou a criação recente da Agência Nacional de Mineração.

 

Segundo ele, o órgão não tem estrutura suficiente para fiscalizar a situação das barragens de rejeitos. "Se tivéssemos modernizado a legislação na hora certa, se tivéssemos permitido uma agência mais moderna, teríamos salvado a vida dessas pessoas”, afirmou.

 

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), um dos que assinaram o requerimento, adiantou que na próxima terça-feira (12), o documento deve ser lido no plenário da Casa. A partir daí os líderes podem indicar os nomes que vão compor a comissão. Serão 11 titulares e sete suplentes. A CPI deve ter duração de 180 dias e limite de despesas de R$ 110 mil.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei