Quarta-Feira 18 de Janeiro de 2017
pesquisas

Sexta-Feira, 06 de Janeiro de 2017, 13h:13

Tamanho do texto A - A+

Presidente da Câmara de Cuiabá busca consenso para anular aumento salarial dos vereadores

Por: PABLO RODRIGO

O presidente da Câmara de Cuiabá, Justino Malheiros (PV), está buscando um consenso entre os 25 vereadores para que o próprio Parlamento revogue a votação, ocorrida na legislatura passada, que aumentou o salário dos vereadores de R$ 15 mil para R$ 18,975 mil, além da criação do 13º salário.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

Justino Malheiros

 

De acordo com Malheiros, alguns vereadores já estão revendo o posicionamento.

 

"A minha opinião sobre o assunto vai de encontro aos anseios da população. Mas essa não é uma decisão só do presidente, é preciso que todos tenham esse entendimento. Eu estou buscando com um consenso. Estou conversando com alguns vereadores. Acredito que até a próxima semana vamos dar a resposta que a população está esperando", disse Justino Malheiros em entrevista à Rádio Capital FM nesta sexta-feira (6).

 

O vereador também sinalizou que a bancada de vereadores do PV, que é a maior com quatro vereadores, seguirá unificada. "Nós tivemos uma reunião para caminharmos juntos na Câmara. Todos os vereadores do PV darão a resposta que a sociedade tanto quer", explicou.

 

Malheiros também saiu em defesa da nova legislatura e disse que os atuais 25 vereadores não podem ser penalisados por decisões passadas.

 

"É preciso que a sociedade entenda que essa é uma legislatura nova, uma Câmara diferente, amadurecida e não podemos ser penalisados por atitudes e decisões das legislaturas passadas. Essa gestão começou do zero e trará pautas positivas para Cuiabá e a população", disse.

 

Malheiros também disse que já foi notificado pelo Ministério Público Estadual (MPE) e deverá se reunir com o promotor de justiça Roberto Turim na próxima segunda-feira (9). "Fui notificado pelo MPE, passei a notificação para a Procuradoria do Legislativo que está preparando a resposta".

 

O Ministério Público Estadual (MPE) entende que existe ilegalidade do projeto de lei que aumentou o salário dos vereadores. A votação do projeto ocorreu no dia 27 de dezembro e 14 vereadores foram favoráveis e sete contrários.

 

O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) já adiantou que vetará o aumento do próprio salário e do seu vice, como também dos vereadores.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei








2 Comentários

Teka Almeida - 07/01/2017

Não entendi, diz o digníssimo: "A minha opinião sobre o assunto vai de encontro aos anseios da população...." O anseio da população é a revogação da votação do aumento totalmente descabido e contra o que está no Regimento da Câmara. Agora se o digníssimo quis dizer que concorda com a população, a colocação está errada, deveria ser "vai ao encontro". E tem mais: É preciso que a sociedade entenda que essa é uma legislatura nova, uma Câmara diferente, amadurecida e não podemos ser penalisados por atitudes e decisões das legislaturas passadas. Essa gestão começou do zero e trará pautas positivas para Cuiabá e a população", então mais um motivo para anulação/revogação do aumento, pois querem ganhar mais sem mostrarem nenhum serviço e propósito quanto a esse tal "amadurecimento".

TEVES NEVES - 06/01/2017

ELE ESTA PROCURANDO CONSENSO.....KD O POVO????....NÃO VÃO PARA AS RUAS????? ELES TEM QUE TER CONCIENCIA..E NÃO CONSENSO...E SIM BOM SENSO.BANDO DE VGB

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA

Leia mais sobre este assunto

Nó de Cachorro

Nó de Cachorro

MPE pede prisão de secretário

Leonardo substitui Shinoraha

Maggi cria site de autopromoção

Secretário dá tom de despedida

Mais Notas

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Comentadas