Sexta-Feira, 13 de Abril de 2018, 16h:50

Tamanho do texto A - A+

Pivetta critica assistencialismo de Taques e diz que essa não é a imagem de MT

Por: FELIPE LEONEL

O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), voltou a disparar críticas contra o ex-aliado e governador do Estado de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), por programas de assistência social, como a Caravana da Transformação e o Pró-Família. De acordo com Pivetta, Taques cria uma imagem de MT “que não é a nossa”.

 

Gabriel Soares/Hipernoticias

otaviano pivetta

 Pivetta na campanha de Taques em 2014

“O governador não é um cirurgião, não é nada, fazer política de assistencialismo, abraçar pessoas e dizer que está dando esmola... Está criando um assistencialismo, criando uma imagem de Mato Grosso que não é a nossa imagem”, afirmou Pivetta, durante ato de filiação do deputado estadual Allan Kardec ao PDT.

 

Ainda segundo ele, Caravana da Transformação se faz em lugares onde não possui endereço fixo para fazer política pública de Saúde, nas “aldeias africanas, onde os povos são nômades”.  Ainda segundo Pivetta, Pedro Taques está “seis mil anos” atrasados e Mato Grosso ocupa uma das piores posições no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

 

“Temos uma das piores classificações do Brasil. O Brasil está entre os 50 piores do mundo.  Nós estamos atrás dos que estão atrás.  Mato Grosso tem muitas riquezas e um vazio demográfico. Tem pouca gente, deve tratar cidadãos pelo nome e não por número”, afirmou Otaviano Pivetta, acrescentado que são apenas 3,3 milhões de habitantes.

 

Otaviano Pivetta foi coordenador de campanha do governador Pedro Taques em 2014, mas afastou do gestor após alguns meses depois. Para ele, Taques foi uma “decepção”, pois pensou estar ajudando um “homem letrado, professor, com doutorado”. “Pensamos que estávamos elegendo um líder, que iria liderar pessoas para fazer a transformação, foi só decepção”, disse.

 

Ele também criticou o rebaixamento da nota de crédito do Estado de Mato Grosso, fazendo o Estado perder o aval do Governo Federal para contrair novos empréstimos e impulsionar o desenvolvimento de MT.  

 

“Nosso PIB [Produto Interno Bruto] é o dobro de Mato Grosso do Sul e perdemos a nota de crédito por causa da má gestão fiscal. Aliás, vamos ter de correr atrás para reconquistar isso e fazer investimentos e desenvolver o nosso Estado”, finalizou Pivetta.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto