Quarta-Feira, 04 de Outubro de 2017, 17h:03

Tamanho do texto A - A+

Perri cobra explicações de secretário da Sejudh sobre uso de algemas em mulher de coronel Lesco

Por: RENAN MARCEL

O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, encaminhou um ofício ao secretário de Justiça e Direitos Humanos, delegado Fausto José Freitas da Silva, cobrando explicações sobre uso de algemas na condução da personal trainer Helen Christy Carvalho Dias Lesco para depoimento na última terça-feira (03).

 

helen algemada.jpg

 

Ela foi presa no final de setembro, durante a Operação Esdras, que revelou uma tentativa de obstrução à Justiça nas investigações sobre o esquema dos grampos telefônicos ilegais. 

 

No documento, Perri lembra que  a utilização de algemas é uma "medida excepcional" e só deve ser adotada para prevenir tentativa de fuga ou agressão contra os policiais e agentes durante a condução. 

 

"Causou-me espécie, não apenas a mim, mas de maneira geral a toda sociedade, haja vista sua notória repercussão, a imagem da custodiada Helen Christy Carvalho Dias Lesco, encarcerada provisoriamente no Presídio Feminino Ana Maria do Couto May, descendo da viatura e ingressando no Complexo Miranda Reis, acompanhada de agente prisional, algemada, para prestar seu depoimento às autoridades policiais responsáveis pela investigação no Inquérito Policial n. 87132/2017", diz Perri. 

 

O magistrado cobrou providências, imediatas e urgentes, "para para que situação degradante desta natureza não volte a ocorrer". Ainda disse que a situação exige justificativa, por escrito, dos agentes penitenciários. 

Nessa terça-feira (03), o HiperNotícias acompanhou a chegada de Helen para o depoimento e registrou a cena. 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei - 5

Leia mais sobre este assunto




2 Comentários

Júlio César Arrais (Julião) - 05/10/2017

Realmente nestes tempos golpistas e temerosos onde a justiça se ocupa com seu corporativismo juntamente com mídia, a sociedade vira refém de todos que se acham com algum poder. Pedir explicação aos agentes? Eles assistem o Moro a não cumprir as leis, ser seletivo e perseguidor, vê um supremo federal seletivo e partidário. Aqui o Perry pesa a mão numa esposa acuada. Estes agentes só tem exemplo ruim e a sensação de heróis nacionais e não a sensação de serem funcionários públicos que devem cumprir regras. Perry este agentes incompetentes e brutais devem ter um chefe do mesmo nível. Seria bom perguntar para ele se há procedimentos em seu recinto de trabalho. A justiça não pode estar acima das leis e se movendo pelo mídia corrompida. Chega.

Critico - 05/10/2017

Essa muie é de alta periculosidade, por isso o uso de pulseira faz necessário kkkkkk

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA